Aos domingos, 15h30
Reprise aos sábados, 11 horas
Na TV Brasil

quinta-feira, 28 de julho de 2011

NESTE DOMINGO: um papo com mães que tiveram câncer


O câncer de mama é o tipo de câncer que mais atinge mulheres no mundo. No Brasil, em 2010, foram mais de 49 mil casos. Já o câncer do colo do útero é o segundo tipo mais comum. São cerca de 500 mil novos casos por ano no mundo. Em 2010, foram mais de 18 mil casos da doença registrados no Brasil. Mas a boa notícia é que com o diagnóstico precoce e os avanços da medicina, cada vez mais as mulheres estão vencendo o câncer e voltando a ter uma vida normal. 

No Papo de Mãe deste domingo (31) vamos bater um papo com mães que tiveram e superaram a doença. Vamos falar também  sobre a gravidez depois do tratamento de quimioterapia e sobre como é estar doente e ao mesmo tempo ter que cuidar dos filhos.
Para ajudar no esclarecimento de dúvidas, Mariana Kotscho e Roberta Manreza recebem especialistas, entre eles  o Dr. Francisco Marziona, oncologista clínico do Instituto Paulista de Cancerologia (IPC) e do Hospital Pérola Byington, a psico-oncologista Vera Anita Bifulco e a advogada Renata Vilhena, que falará sobre os direitos da mulher que tem ou teve câncer.
Após o programa, converse com a gente pelo chat no blog até às 21 horas. Durante a semana, acompanhe as nossas postagens sobre o tema. Siga o programa pelo Twitter (@papodemae) e pelo Facebook. Assine o nosso Feed para receber as nossas atualizações e torne-se nosso seguidor. E para entrar em contato com a nossa equipe escreva para [email protected].
Papo de Mãe é um programa imperdível para quem vive as dores e as delícias da vida em família. Informal com informação. Emocionante. Interativo. E com muita prestação de serviço. Neste domingo, 31/07, às 7 da noite, na Tv Brasil.








quarta-feira, 27 de julho de 2011

UTILIDADE PÚBLICA

Justiça concede liminar que obriga SUS a fornecer insumos e medicamentos menos agressivos a crianças diabéticas
Material utilizado atualmente obriga crianças a tomarem mais doses e pode causar hipoglicemia. Canetas aplicadoras e insulina Glargina permitem maior autonomia e menos sofrimento. A decisão é válida para todo o Estado de SP.

terça-feira, 26 de julho de 2011

DICA: 1ª Feira Literária de São Bernardo do Campo

1ª Feira Literária de São Bernardo, destinada ao público Infantojuvenil, será apresentada nesta terça-feira (26/7)
Cerca de 70 editoras e grandes nomes da literatura - como Ziraldo, Ruth Rocha e Márcia Tiburi - estarão presentes; previsão de público é de 120 mil pessoas
Única do gênero no Estado, por ser destinada exclusivamente ao público infantojuvenil, a 1ª Feira Literária de São Bernardo do Campo (FELITSBC) será apresentada pelo prefeito Luiz Marinho nesta terça-feira (26/7), às 11h, no Salão Nobre do Paço Municipal. A Feira, pioneira no Grande ABC, acontece de 1 a 14 de agosto no Pavilhão Vera Cruz.  Cerca de 70 editoras e grandes nomes da literatura - como Ziraldo, Ruth Rocha e Márcia Tiburi - estarão presentes na 1ª FELIT.
Durante o evento, a Prefeitura promoverá diversas ações de incentivo à leitura entre as crianças e adolescentes. As unidades de ensino da rede pública receberão verba extra para a aquisição de novos livros e renovação de suas bibliotecas. Além disso, cada aluno da rede pública receberá um livro para compor seu acervo pessoal.  A previsão é que, entre o público em geral e os alunos da rede, cerca de 120 mil pessoas visitem a feira.
Serviço: Apresentação da 1ª Feira Literária de São Bernardo -26/7 (terça-feira) - 11h - Prefeitura de São Bernardo do Campo (Salão Nobre do Paço Municipal) - Praça Samuel Sabatini, 50.

segunda-feira, 25 de julho de 2011

DICAS DE LEITURA

Oi gente!
Nossa, duas semanas sem o nosso papo dominical parece uma eternidade, não é mesmo??? Mas não se preocupem porque no próximo domingo já teremos o PAPO DE MÃE de volta!!! (Ebaaa!!!)
Por enquanto, vamos postando algumas dicas e matérias que acharmos interessantes para vocês, ok?
E o que temos para hoje são dicas de leitura - sempre úteis para estimularmos nossos filhos desde cedo a este hábito tão saudável e importante. As dicas vieram de telespectadores que escreveram para nosso e-mail. Confiram!

Menina-menina, princesa de lama... de Rosane Villela.
A poética narrativa — com cenário no folclore brasileiro e nas lembranças da autora — conduz o leitor a viajar por um universo onírico: reinos encantados, onde bois-zebus passeiam com Curupira, Boitatá, Cuca e Lobisomem. E onde cometas, cavalos-marinhos e dragões levam a menina a mares distantes, castelos verdes de mata, e à Lua.  

***
Quase meia noite, de Solange Sánchez.
Quase meia-noite... mas nem todas as crianças estão dormindo. Um menino ainda está acordado e da janela do seu quarto acaba descobrindo algo surpreendente. O que será?
***
Lenita, a menina voadora, de Anne Lieri.
Lenita era uma menina que tinha um grande sonho - ela queria voar. Nessa história, veja como ela resolve seu desejo.




sábado, 23 de julho de 2011

ATENÇÃO PARA COMUNICADO IMPORTANTE!!!

Em razão da transmissão dos jogos militares pela TV Brasil, não haverá Papo de Mãe no dia 24 de julho. O programa volta a ser apresentado normalmente a partir do dia 31/07 com o tema “mães que tiveram câncer”. Fiquem ligados!!!

sexta-feira, 22 de julho de 2011

DICA DE HOJE: Teatro de bonecos em SP!

Mostra São Paulo - Teatro de Bonecos 2011
Arte nos quatro cantos da cidade
A população paulistana usufruirá gratuitamente de um panorama internacional do teatro de bonecos. A mostra inclui apresentações, espaço de interação com os bonecos e encontro com aos artistas. E acontece de 12 a 28 de agosto em parques, centros educacionais (CEU´s) e teatros em todas as regiões da cidade. “A ideia da Mostra é proporcionar uma vivência artística completa e divertida onde o público possa ver diversas técnicas, conhecer e manipular os bonecos e conversar com artistas renomados refletindo sobre essa arte.”, diz Ana Clara Marques Diretora de Produção do evento.
A abertura do evento será com três apresentações do espetáculo espanhol “No Toquen Mis Manos”, cuja qualidade artística foi reconhecida em festivais de teatro da Áustria, China, Espanha, Holanda, Israel, Itália, México, Paquistão, Portugal e Suécia. Nele a artista Valeria Guglietti une a técnica de sombras chinesas, ao cinema mudo e a uma cômica trilha sonora.  O Centro de Estudos e Práticas do Teatro de Animação e o Espaço Sobrevento serão os locais das primeiras apresentações. Estes espaços são pontos de referência da arte bonequeira que apóiam a profissionalização de artistas e o fomento à criação de novos espetáculos e linguagens.
A produção da Mostra São Paulo – Teatro de Bonecos é do Circo Navegador e Cooperativa Paulista de Teatro. Projeto realizado com o apoio do Governo do Estado de São Paulo, Secretaria de Estado da Cultura - Programa de Ação Cultural – 2010.
Informações à Imprensa: [email protected]

quinta-feira, 21 de julho de 2011

MUDANÇAS: mudar de escola no meio do ano?

Mudando de escola no meio do ano
Por Maria Irene Maluf*
A princípio não sou a favor e nem contra a mudança de escola no meio do ano, pois entendo que existem algumas situações em que permanecer em determinado colégio pode ser prejudicial para o crescimento. O que discordo é com a facilidade, a superficialidade, a frequência, a falta de coerência com que isso vem ocorrendo por motivos irrelevantes.
As razões que levam os pais a apoiarem esse desejo imaturo de seus filhos de fugirem desde cedo dos desafios e de buscarem por si a solução das suas dificuldades de relacionamento ou (em muitos casos) de maior exigência pedagógica, me assustam. Afinal, quem escolheu a escola para matricular o filho, devia saber mais do perfil e das exigências peculiares tanto do filho quanto do colégio. Acatar a mudança para resolver dificuldades de relacionamento com colegas e professores, problemas de conduta ou desmotivação frente a exigências cabíveis e normais dos professores é uma atitude que não só fragiliza a criança e o jovem, como demonstra que seus pais também estão inseguros em uma questão onde já não deveria haver dúvida.
De toda forma, mudar de escola no meio ano, quase sempre causa angústia na criança, na sua família e até na nova escola que a recebe. Razões não faltam para isso, pois até mesmo se esquecermos de levar em conta os motivos que provocaram tal atitude dos pais, o que se tem pela frente é de fato complicado: famílias procurando se amoldar às novas exigências de horário, de uniforme, etc. Crianças tentando se adaptar e se socializar em classes com antigos e novos coleguinhas que também vieram de situações escolares estressantes e com professores desconhecidos, os quais também estarão vivenciando com certa ansiedade uma classe com alunos que poderão vir a mudar o perfil já conhecido do grupo, entre outras coisas.
Se levarmos então em conta os problemas pedagógicos e comportamentais ocorridos no primeiro semestre pela criança que se matriculou em um novo colégio, a situação se complica ainda mais.
Alguns itens não podem deixar de serem levados em conta pelas famílias: mesmo trocando de escola é bem possível que não alterem totalmente os problemas dos filhos. Todos devem estar preparados para essa eventualidade e desde o primeiro dia letivo devem buscar soluções e não ficar apenas confiando que a mudança de colégio, de método, de colegas e professores vá trazer de volta aquele aluno nota dez dos primeiros anos de escolaridade, ou de repente tornar uma criança desmotivada em interessada e envolvida nos estudos, ou até mesmo tornar um aluno com dificuldades de aprendizado no primeiro da classe.
Mudar de escola só é válido na última hipótese, quando as questões ligadas ao desenvolvimento mental, emocional e à capacidade de aprender da criança se mostram inadequadamente atendidas por aquele método de ensino ou quando aparecerem questões mais sérias ligadas à autoestima, ao bullying e, mesmo assim, só quando forem incontornáveis.
Mudar no final de uma série cursada tem outra significação para o aluno e por isso deve ser sempre uma hipótese a ser levada em conta, pois é mais coerente, dá tempo da criança tentar resolver seus primeiros problemas, ensina a lidar com os obstáculos e fortalece a autoestima infantil. E acima de tudo, mostra que os pais estão empenhados em ajudá-la e que confiam na sua capacidade. Isso é que prepara de fato para a vida.
*Maria Irene Maluf é especialista em Psicopedagogia e Educação Especial, editora da revista Psicopedagogia da ABPp, coordenadora/SP do Curso de Especialização em Neuroaprendizagem do Instituto Saber/FACEPD. Participou como especialista convidada do Programa Papo de Mãe sobre “meu filho não gosta de estudar” exibido em 19.06.2011. Site: http://www.irenemaluf.com.br/.

***
DICA DE HOJE

segunda-feira, 18 de julho de 2011

S.O.S PAPO DE MÃE

QUEM PERGUNTA: A telespectadora Gislaine
"Olá, sou muito fã do programa. Estou com um problema em casa. Tenho uma filha de 2 anos e 8 meses e ela não está comendo a comida, e quase não come legumes, não sei mais o que fazer... Jantamos e almoçamos todos juntos na mesa, e mesmo assim ela não come bem, só belisca. Por favor, o que devo fazer nesse caso?"
QUEM RESPONDE: a nutricionista Aline Paz, especialista que participou do Papo de Mãe sobre "Obesidade Infantil", exibido em 12.12.2010.
Aline Paz
"Gislaine, com esta idade dificilmente a criança vai permanecer sentada à mesa e comer toda a comida colocada no prato. Na maioria das vezes, elas se distraem e querem brincar. Você mencionou um ponto muito positivo, que é a realização das refeições com todos juntos à mesa, é importante que ela participe desse momento. Não se preocupe muito com a quantidade, mas sim com a qualidade da alimentação dela. Coloque no prato pequenas porções dos alimentos e deixe que ela pegue, conheça as texturas, experimente. Quanto aos legumes, varie sempre na apresentação, utilize cortes diferentes, faça suflês, purês e tortas para estimular o consumo e fazer com que ela se acostume aos diferentes sabores. Jamais deixe de oferecer, mesmo após algumas recusas. É importante não forçar e não oferecer recompensas para que a criança coma determinados alimentos. Nos intervalos das refeições, não deixe de oferecer frutas variadas. Abraços, Aline."
 ***
PS: A nutricionista Aline está grávida! Gostaríamos de deixar registrado aqui o nosso agradecimento por sua participação, tanto no programa como no esclarecimento de dúvidas dos telespectadores,  além de desejar-lhe uma "boa hora". Aline, que seu bebê venha com muita saúde!!! Estamos torcendo por vocês!!! Beijos de toda Equipe Papo de Mãe. Não esqueça de dar notícias!!! 
 ***
DICA DE HOJE
Postagens  anteriores referentes aos  programas: Alimentação Infantil e Obesidade Infantil
Programa Papo de Mãe sobre Alimentação Infantil:


  

sábado, 16 de julho de 2011

ATENÇÃO PARA COMUNICADO IMPORTANTE!!!

Em razão da transmissão dos jogos militares pela TV Brasil, não haverá Papo de Mãe nos dias 17 e 24 de julho. O programa volta a ser apresentado normalmente a partir do dia 31/07 com o tema “mães que tiveram câncer”. Fiquem ligados!!!

MUDANÇAS: RELATO DE SEPARAÇÃO

"Parabéns pelo programa e pelo assunto abordado. Atualmente, a separação é um fato comum entre os casais e acredito que seja muito bom as pessoas terem oportunidades de ouvir situações semelhantes, com dicas e conselhos para driblar esta árdua fase.
Estou separada há 9 anos e, na época, minhas filhas tinham 8 e 15 anos. Foi MUITO difícil, pois era uma criança e uma adolescente. Hoje, graças a Deus, minha filha mais velha tem 25 anos e está casada há 5 anos. A mais nova tem 17 anos e já "superou".
Minha dica é essa que vivi. Mesmo com toda mágoa, tristeza, ressentimento, enfim, tudo de ruim (rsrs) que possa existir, fui sábia em tentar sempre estar próxima a ele para que ele não se afastasse de minhas filhas, pois tudo era propício a isto naquele momento - afinal houve uma traição por parte dele, um surto por uma liberdade e uma busca por uma felicidade que ele disse não ter (mesmo após 15 anos de convivência).
Hoje, estou muito bem, pela graça de Deus. CHOREI, mas CHOREI muito. Tinha dias que parecia que ia até sair sangue dos meus olhos, tamanha era a dor. Mas venci! Estou bem e em PAZ. Curto minha vida, minha tranquilidade, minhas filhas, minha neta linda de 4 anos e meu trabalho.
Ele, encaro como sendo uma pessoa que não teve compromisso com as nossa vidas, e até com um juramento. Para o homem é simples dizer que acabou e querer uma nova vida, mas será que seria da mesma forma  se tivesse que ficar com a responsabilidade e o compromisso que a mãe fica? Ou seja, os filhos... E é por este motivo que me sinto mais vitoriosa ainda, pois coloco minha cabeça no travesseiro e durmo com a convicção de que fiz meu melhor para cuidar de mim e de minhas filhas (mesmo com nossas dores).
Deixo aqui minha experiência e ressalto que nada melhor do que o tempo e Deus em nossas vidas. Nunca use os filhos para qualquer situação (mesmo que sinta vontade), pense que eles não têm culpa e que a separação já é muito triste, e que é nossa responsabilidade como mãe driblar essa dura fase, fazendo, ainda, com que o pai não se distancie dos filhos. Isto é o que geralmente ocorre, mas se podemos tornar menos difícil a situação, temos este  dever, por amor a eles.
Minha mãe faleceu quando eu tinha 3 anos (infarto) e também por isso, em minha separação, pensava muito. Sofri com a ausência de minha mãe, porém ela não estava viva, mas não queria que minhas filhas sofressem com a ausência do pai, pois era uma separação e não uma morte. Pensei que tudo era favorável para ele se distanciar, então continuei sendo amável e procurando-o para que não se distanciasse delas. FOI MUITO DIFICIL, mas engoli minha mágoa, meu amor, a humilhação da traição, segurei nas mãos de Deus e no fim as coisas foram dando certo.
Hoje minhas filhas fazem a opção delas: sair, ficar, telefonar, conversar... Enfim, já fiz a minha parte enquanto eram menores. Hoje, apenas continuo exigindo respeito com ele como pai (mesmo que como marido ele não mereça, mas me vigio para não pensar nele como ex-marido e sim vê-lo como PAI de minhas filhas).
É isso. Estou enviando uma foto com minhas filhas MARAVILHOSAS e eu segurando minha neta linda!" Beijos, Vânia.
***
DICA DE HOJE
Férias: exposição Somos Terra é opção para a garotada
A exposição gratuita Somos Terra, na UMAPAZ, no Parque Ibirapuera, fica aberta ao público até 10 de setembro, das 10h às 17h, diariamente. Painéis interativos contam a história da vida na terra. Os visitantes passeiam pelos diversos estágios como ar, água, terra, flores e folhas. "A vida acontece toda em encadeamento, cada uma precisando da outra para viver em equilíbrio. E nós humanos precisando de todos os seres pulsando em conjunto para a manutenção da nossa vida. Quando algum elo é quebrado, os problemas ambientais podem ficar imensos", diz Ana Augusta Rocha, jornalista e criadora do projeto através de sua empresa, a Auana Editora.
SERVIÇO: Exposição SOMOS TERRA. Aberto ao público, gratuitamente, até 10 de setembro de 2011.  UMAPAZ - Parque Ibirapuera - Av. IV Centenário, 1268, CEP 04030 -000 São Paulo SP Brasil - Tels: (11) 5572 8037, 5572 1004. Horário de Funcionamento: Das 10h às 17h. Conceito e conteúdo: Ana Augusta Rocha - Auana Editora. Cenografia: Marko Brajovic - Atelier Marko Brajovic.

sexta-feira, 15 de julho de 2011

MUDANÇA DE COMPORTAMENTO: RELATO

"No início deste ano, meu filho, de 4 anos e meio, mudou de turma na escola. Permaneceu na mesma escola, mudando apenas de turma e de professora e seus amiguinhos do ano anterior continuavam lá. Porém, com a outra professora, apenas ele daquela antiga turma não permaneceu na turma. Também ocorreram mudanças referente à rotina deles na escola: do Infantil I, foi para o Infantil II - uma nova fase, onde o tempo de brincadeiras diminuiu e aumentou o tempo de atividades pedagógicas em sala de aula.
Pois bem, meu filho começou a apresentar um comportamento muito diferente do habitual, ficou agressivo com os colegas, respondia mal à professora, não queria obedecer e nem respeitar as regras. Todos os dias a professora me ligava para reclamar, e eu surpresa não podia acreditar! Até parecia que ela não estava falando do meu filho e sim de outra criança...
Eu e meu marido juntos começamos em casa uma jornada de muito diálogo com ele, procuramos saber dele o que estava acontecendo, e ele me dizia que não queria aqueles amigos, que queria ficar com os outros (os antigos), que ele queria mudar de turma, que não queria aquela professora, queria a professora antiga, e que não queria mais ir para aquela escola, que ele não brincava mais, quando brincava era muito pouco tempo... Enfim, foi muito difícil, porque estávamos acostumados com um menino dócil, educado, que adorava ir para a escola.
No início, me senti perdida. Por algumas vezes, coloquei alguns "castigos", porque quando ia falar com ele, ele não aceitava, então tirei algumas coisas de que ele gostava para que ele pudesse me ouvir.
Foi um trabalho de formiguinha, eu, o pai e a escola, com muita conversa tentamos mostrar para ele o que ele estava ganhando com a mudança, que era necessária e para o seu bem. Foram dias e dias de conversa, um após o outro. Dias muito cansativos porque todo dia era a mesma coisa.
Sofri muito nesse período, porque a gente sempre se culpa. Até que um dia, conversando com a coordenadora pedagógica da escola, ela me tranquilizou dizendo que é assim mesmo, que cada criança reage de um jeito às mudanças, que eu tivesse paciência que iria passar...
Então, percebi que não era só com o meu filho. Mas se a maneira do meu filho reagir foi essa, pensei em dar a ele todo o suporte para superar esta fase. Foi o que fizemos. Conversamos muito com ele, sempre com muito carinho e amor, tentamos fazer com que ele se sentisse seguro e pronto para mudar. E o resultado foi positivo.
Hoje, ele recuperou a vontade de ir para a escola, aprendeu a gostar da professora e dos novos amigos, sem esquecer-se dos antigos. Está aprendendo que para tudo tem uma hora (hora de brincar, hora de estudar, hora de lanchar), e que quem decide é a professora e não ele, e que como um bom menino, ele deve obedecer, porque ela está lá para ensinar e ele para aprender. E que isso tudo será para o seu bem, porque nós o amamos muito, e queremos que ele seja muito feliz! Abraços, mamãe Mari."

quinta-feira, 14 de julho de 2011

ARTIGO + DICA DE LEITURA

 MUDANÇA - por Fernanda Reis*
Mudar implica em adaptar-se ao novo. Mudar era um hábito dos povos primitivos - os nômades. Apesar da evolução das civilizações e do abandono desse costume, ainda podemos encontrar por aí gente moderna que vive exatamente assim: pulando de galho em galho ao longo da vida, movendo-se para lá e para cá, trocando de bairro, cidade e até de país, só que por um motivo diferente: o trabalho dos pais.
O resultado, às vezes, pode ser não ser bem o desejado, principalmente quando envolvemos os filhos. Os cuidados com as consequências emocionais de mudanças de casa, do canto preferido, do distanciamento dos amigos, podem gerar sofrimento e até depressão.
Mas também pode ser muito benéfico, trazendo descobertas novas e facilitar uma socialização mais rápida.Conhecer novos comportamentos e culturas diferentes, podem ser outro fator interessante.
Como preparar as criancas para isso ??? Diálogo, diálogo, diálogo!!! Devemos sempre buscar falar sempre o que está acontecendo e isso é um hábito construído em família.
Falar também sobre os reais motivos de uma mudança de casa ou de bairro deve ser a diretriz da conversa ressaltando os pontos positivos sempre, mas ouvindo as perdas dos "acompanhantes" deste processo: a família.
* Fernanda Reis - Psicóloga clínica e hospitalar. 
 CRP 05/12836. www.fernandareispsicologa.com.br.

***
 DICA DE LEITURA



O casamento acaba com o divórcio, mas a paternidade não. A obra reúne cartas que o médico Marco Teixeira escreveu aos filhos sobre a dor da separação. São histórias de como ele enfrentou a distância e a falta dos dois filhos.

quarta-feira, 13 de julho de 2011

MUDANÇAS - Por Lilian Lerner Castro*

Lilian L. Castro
Nossa vida está em constante mudança desde o momento em que nascemos. Se tomarmos como exemplo o recém- nascido, a experiência do nascimento já é uma grande mudança. Mudança de meio ambiente, de alimentação, temperatura, luminosidade, etc.
Toda a mudança exige novas habilidades e recursos para que haja adaptação à mesma. Essas adaptações, no entanto, podem gerar ansiedade.
Apesar da ansiedade ser um sentimento natural e próprio da condição humana, que prepara a criança para suportar a vida futura, algumas providências são importantes para proteger as crianças de desenvolverem ansiedade excessiva frente às possíveis mudanças externas. São elas:
• Procurar não superproteger os filhos. Facilitar a autonomia e a exploração ambiental da criança.
• Se possível, espaçar as mudanças (ex: escola, casa, cidade). Se não houver possibilidade, preparar a criança para elas, apontando o que será positivo e levá-la a participar ao máximo da mudança.
• Evitar a interpretação catastrófica dos fatos, para que a criança não perceba o mundo como um lugar perigoso.
• Em caso de separação dos pais, evitar brigas na presença dos filhos.
• Nos casos de gestação da mãe, preparar a criança para receber o irmão, convidando-o a participar da escolha do nome, da compra das roupinhas do bebê, etc.
• Em caso de morte de pai ou mãe, estimular a criança a falar de seus sentimentos, permitindo a ela sentir a emoção que estiver presente. Isso é muito importante na elaboração do luto.
• Promover a sociabilidade da criança (crianças que desenvolveram habilidades sociais têm mais recursos para fazer amigos em qualquer lugar, pois aprenderam a lidar com as diferenças individuais, tendo mais confiança em si).
• Valorizar a criança pelo que ela é e não somente pelo que ela realiza ou faz bem feito. Isso gera auto-estima, que é tão importante para o desenvolvimento emocional saudável.
*Lilian Lerner Castro é Psicóloga Clínica e do Programa de Transtornos de Ansiedade na Infância e Adolescênciado IPq.-H.C./F.M.U.S.P. Atende crianças, adolescentes e adultos e presta orientação aos pais. Participou como especialista convidada do Papo de Mãe sobre MUDANÇAS exibido em 10.07.2011. contato: [email protected]
***
DICA DE LEITURA
Neste livro, a educadora Cris Poli dá dicas sobre como agir na hora da separação. Segundo a educadora, o comportamento da criança é diretamente influenciado pelo modo como os pais conduzem a separação e pela convivência com eles após.

terça-feira, 12 de julho de 2011

MUDANÇA DE ESCOLA: Relato de telespectadora

"Tenho 2 filhos e atualmente moramos no RJ, mas meus filhos nasceram em Natal/RN. Quando o meu menor estava com 4 anos fui morar na vila militar, pois a casa era bem mais confortável que o apartamento onde morávamos. Porém, como a distância do novo endereço em relação ao colégio era grande, colocamos as crianças em um colégio que nos indicaram. Entretanto, a experiência não deu certo e voltamos para o anterior.
As crianças ficavam bastante cansadas pela distância e meu marido ficava num stress enorme, pois ele os levava no horário de seu almoço. Depois, para o conforto de todos, tentamos outro colégio próximo de casa e que foi legal por dois anos. Mas aí veio minha transferência e lá fomos nós para o RJ.
Chegando aqui, procuramos o melhor colégio no bairro que iríamos nos instalar (bairro humilde). Gostamos muito do colégio, mas foi só por um ano, pois ao final das provas nos informaram que o colégio iria encerrar suas atividades. Lá fomos nós a procura de outra indicação...
O colégio indicado ficava em outro bairro e era feita uma avaliação para crianças novatas. Minha filha passou, porém meu filho não. Então ela foi para uma escola e ele ficou em outra. Porém, não gostei da qualidade do material didático utilizado por este colégio, então, no ano passado, ele foi para o mesmo colégio da irmã. UFA!!!! Se é até difícil de contar, imagino de se entender...
Consequências: perda constante de amigos; dificuldade de adaptação, para eles (e para mim) às normas dos colégios; descobri que os colégios não seguem um padrão de matérias dadas em cada disciplina e ano letivo. Ou seja, eles repetiram matérias, de um colégio para outro e, por outro lado, deixaram de ver uma ou outra. Acredito que os colégios deveriam seguir um padrão em todas as disciplinas obrigatórias, isto é, a mesma matéria para a série correspondente.
No caso da minha filha, que é mais tímida, este problema só piora. Mas no caso do meu filho, digo a ele que ele tem a oportunidade de ter uma grande quantidade de colegas e em vários locais do Brasil. Mas não é sempre que este argumento dá certo.
No colégio, os adolescentes criam vínculos desde a infância, eu sei, mas sempre estou estimulando-os a não acreditarem nas "panelinhas", como eles dizem, mas a mostrarem o que eles têm de bom. O menino se coloca melhor, por se menos tímido, mas a menina me dá bastante trabalho. Ela tem muito poucas amigas, isso quando as tem.
A situação é difícil, mas com carinho e conversa vamos contornando o que dá. Esta é a colaboração que tenho a dar e espero ter elucidado o assunto a contento. Um abraço, "mamãe", do RJ." (identidade preservada a pedido da telespectadora)

segunda-feira, 11 de julho de 2011

ARTIGO DE ESPECIALISTA: "MUDANÇAS"

MUDANÇAS
Por Solange Melo*


A mudança é uma lei da vida e nela nada é permanente, exceto a mudança. Nem tudo que se enfrenta pode ser modificado, mas nada pode ser modificado até que seja enfrentado.
Na realidade, não existe mudança externa sem a mudança interna do indivíduo, e toda situação de mudança traz consigo sentimentos de ansiedade e expectativa diante da possibilidade do fracasso e do arrependimento.
Em geral, associamos mudança à perda, o que nem sempre se constitui numa verdade, já que, muitas vezes, para ganhar precisamos necessariamente mudar.
Muitas são as situações que nos remetem a mudanças: mudar de casa, de estado civil, de profissão, de cidade ou mesmo de país, de emprego, de escola. E, independentemente de qual seja a nossa possibilidade de mudança, é fundamental percebermos os pontos positivos existentes, pois tudo na vida tem vantagens e desvantagens, ganhos e perdas.
Quando mudamos uma readaptação à nova situação se faz necessária e isso faz com que entremos em contato com nossas capacidades, nossa criatividade e nossos limites e, muitas vezes, descobrimos em nós mesmos potencialidades que até então eram para nós desconhecidas.
Mudar dá medo e gera insegurança sim, por isso mesmo toda situação de mudança deve ser avaliada com serenidade, calma e bom senso. Mas ao mesmo tempo, ela nos tira da mesmice, do comodismo, do que por nós já é conhecido.
Mudar é importante, mas mude devagar porque numa mudança a direção é sempre mais importante do que a velocidade. Para toda mudança há resistências; para tal são necessários planejamento e consenso.
Mudanças são inevitáveis em todas as áreas da vida, e quanto mais você resiste, mais você sofre. Lembre-se do que já dizia Darwin: não são os mais fortes que sobrevivem, mas os que se adaptam mais rapidamente às situações novas.
Algumas mudanças são inesperadas; melhor quando estamos preparados para elas. Quando não estamos, é fundamental mantermos o otimismo, pois tudo depende do que vem depois, e como nós não sabemos o que vem depois, lembremos do velho ditado dos nossos avós: é no andar da carruagem que as abóboras se ajeitam...
*Solange Melo é psicóloga e psicoterapeuta de adultos, casais e famílias em São Paulo - SP. Participou como especialista convidada do Papo de Mãe sobre MUDANÇAS exibido em 10.07.2011. 

***
DICA DE LEITURA
Intelectualmente, as mulheres compreendem o processo de envelhecimento. Entretanto, a primeira ruga ou cabelo branco as faz entrar num parafuso emocional. Por que isso ocorre? Na vida cotidiana, as mulheres foram ensinadas que a beleza vai além da pele, mas a nossa cultura, com sua obsessão pela juventude, reforça a ideia de que a beleza é moeda de troca vigente. Neste guia psicológico, as ex-modelos que se tornaram psicoterapeutas, Dra. Vivian Diller e a Dra. Jill Muir-Sukenick, oferecem uma saída para essa situação surpreendentemente difícil de enfrentar. Encare o Espelho é o guia da mulher inteligente para viver bem e ter a sua melhor aparência em qualquer idade.

sexta-feira, 8 de julho de 2011

NESTE DOMINGO: UM PAPO SOBRE MUDANÇAS!

O nascimento de um irmão, a separação dos pais, a mudança de escola, de cidade... Ao longo da vida, nossos filhos podem se deparar com vários tipos de mudanças e é importante saber como lidar com estas situações. Por isto, neste domingo, o nosso papo vai ser sobre MUDANÇAS.
No estúdio, além das mamães convidadas e de seus filhos, Mariana Kotscho e Roberta Manreza recebem as especialistas Lilian Castro, psicóloga de crianças e adolescentes do Ambulatório de Ansiedade do Instituto de Psiquiatria do HC/SP, e Solange Melo, psicoterapeuta que trabalha com questões ligadas à separação dos pais.
Na “vez do pai”, Davi de Almeida conversa com um gerente de recursos humanos que mudou 12 vezes de cidade com a família e continua disposto a conhecer novos lugares. Em reportagem especial, Anderson Vasco mostra para a gente a realidade de 2 famílias brasileiras que se mudaram para Espanha. E na reportagem de Rosângela Santos, dicas sobre como enfrentar um divórcio de forma que a separação não represente um trauma para as crianças.
Após o programa, converse com a gente pelo chat no blog até às 21 horas. Durante a semana, acompanhe as nossas postagens sobre o tema. Siga o programa pelo Twitter (@papodemae), pelo Facebook, pela Rede Mulher & Mãe e pelo Orkut. Assine o nosso Feed para receber as nossas atualizações e torne-se nosso seguidor. E para entrar em contato com a nossa equipe escreva para [email protected].
Papo de Mãe é um programa imperdível para quem vive as dores e as delícias da vida em família. Informal com informação. Emocionante. Interativo. E com muita prestação de serviço. Neste domingo, 10/07, às 7 da noite, na Tv Brasil.













quinta-feira, 7 de julho de 2011

S.O.S. PAPO DE MÃE

QUEM PERGUNTA: os telespectadores do Papo de Mãe
QUEM RESPONDE: Dr. Samir Rahmé, médico antroposófico. Participou como especialista convidado do Papo de Mãe sobre PERSONALIDADES, exibido em 03/07/2011. 
TIMIDEZ: Tenho ficado muito chateado com meu filhinho de 6 anos que se envergonha de participar de apresentações nas festividades da escola, como festas juninas, comemoração do dia das mães, pais, etc. Ele percebe como fico chateado e até bravo. O que devo fazer? Continuo insistindo para ele perder a vergonha e se apresentar ou devo relaxar?
Dr. Samir Rahme
DR. SAMIR: É provável que seu filho tenha um temperamento melancólico, que tem mesmo dificuldade de se expor. O papel do professor é fundamental para que ele tenha segurança de se expor. Vale a pena uma conversa na escola. Não insista com ele antes de ter essa conversa pedagógica, ok?
LIMITES: Tenho dois filhos, um menino de 10 anos e 1 menina de 2 anos e 7 meses. Estou meio desesperada sem saber o que fazer com ela. Ela tem a personalidade muito forte, é mandona e brava. Já a coloquei de castigo, até bati, mas não consigo resolver o problema. Passo vergonha com ela na rua, as pessoas cumprimentam e ela, ao invés de responder, mostra a língua ou chama a pessoa de chata. Gostaria que vocês me ajudassem sobre isso, o que devo fazer? Me ajudem...
DR. SAMIR: Quem em casa ou na família é irreverente como sua filha? Nessa idade, o padrão IMITAÇÃO é muito importante. Além do mais, não adianta bater, dar castigo, etc, se não se conseguir mostrar a ela que existe uma autoridade que decide por ela e não o contrário. Firmeza com carinho pode ser a solução, e o pai deve fazer o mesmo para evitar deixá-la mais sem limites, ok?
***
DICA PARA AS FÉRIAS!!!
Lego anima férias de julho - 2011
Marca dinamarquesa promove oficinas de recreação em cinco shoppings pelo Brasil
A LEGO, marca líder mundial em brinquedos de montar, aporta no mês de julho em cinco capitais brasileiras nessas férias – São Paulo, Brasília, Belo Horizonte, Porto Alegre e Curitiba – para promover atividades gratuitas voltados para crianças de 4 a 12 anos de idade. Os eventos acontecerão em cinco shoppings, onde as crianças poderão criar livremente e liberar a imaginação dentro das áreas de recreação e participando de concursos culturais, além de acompanharem exposições de construções impressionantes feitas inteiramente com peças LEGO.
Confira os locais e datas das Oficinas de Criação LEGO:
- Shopping Villa Lobos - 01 a 31 de julho - São Paulo – SP
- Shopping Iguatemi - 15 a 31 de julho – Brasília - DF
- Boulevard Shopping - 01 a 17 de julho - Belo Horizonte - MG
- Shopping Praia de Belas - 01 a 15 de julho - Porto Alegre - RS
- Shopping Mueller - 07 a 24 de julho – Curitiba – PR
As oficinas contarão com peças de LEGO duplo, maiores e destinadas aos construtores iniciantes, além das tradicionais pecinhas de 2x4 pinos. Divertidos e educativos, os produtos da LEGO são conhecidos por desenvolver a imaginação, coordenação motora e raciocínio lógico das crianças. Desenvolvidos em plástico ABS, os bloquinhos de montar são atóxicos e resistentes, além de apresentar precisão no encaixe.

terça-feira, 5 de julho de 2011

PERSONALIDADES: Teoria dos 4 Temperamentos

Autoconhecimento e os 4 Temperamentos
Por Samir Wady Rahme*
A tarefa do médico é ajudar o paciente a superar suas crises que, na maioria das vezes, se apresentam como uma doença. Mas, bem antes da doença manifestar-se fisicamente, uma alteração já se encontra em curso em sua alma. Quero falar de seus hábitos, de suas constituições e, principalmente, de suas formas de reagir perante os outros e o mundo. Falarei dos 4 temperamentos, conhecimento que foi esquecido por séculos e que agora necessita reencontrar seu caminho, para ajudar na compreensão do próximo e de si próprio.
Tradicionalmente, essa tipologia relacionava-se com os 4 elementos, sendo:
Terra – ligado ao Melancólico
Água – ligado ao Fleumático
Ar – ligado ao Sanguíneo
Fogo – ligado ao Colérico
Em nosso dia a dia, podemos perceber claramente que as pessoas realmente têm um “tempero” todo especial e individual. Algumas pessoas são mais doces, outras ácidas, outras salgadas, e não faltam as apimentadas. Carregamos conosco todos esses 4 elementos, só que de forma um pouco desbalanceada, e a prevalência de um elemento sobre os outros é o que nos “colore” para a vida. O que se espera é que, com o passar dos anos, esses elementos consigam entrar em harmonia.
Prestem atenção nas seguintes situações:
1- Sou uma pessoa introspectiva, não faço questão de muita convivência social, evito que saibam sobre o que penso e, principalmente, o que sinto. Carrego dentro de mim um grande peso e tenho sempre a sensação de nunca ser realmente compreendido. Adoro elaborar mentalmente tudo que percebo, mas como não consigo me expressar bem através de palavras, acabo reclamando. O mais difícil para mim é ser espontâneo, e facilmente me vejo na condição de vítima. Meu ponto forte é a percepção interna dos processos e dos outros. Vivo muito com meu passado.
2- Sou mais introspectivo do que extrovertido. Gosto muito de ficar “na minha” e fazer o que me pedem no maior detalhe e paciência. Mesmo que me chamem a atenção, continuo no meu ritmo de trabalho e sou muito preocupado com meu bem estar. Se estou aquecido e alimentado, desfruto de grande satisfação e embora me cobrem posturas, não estou nem aí para elas. Não me encanto com novidades. Meu ponto forte é a fidelidade para com o ritmo em tudo. Vivo entre o passado e o presente.
3- Sou extrovertido e adoro viver apaixonado. Perto de mim, todos se sentem bem, mas confesso que não consigo ficar muito tempo com as pessoas e nem fazendo a mesma coisa. Daí, acabo não finalizando o que começo e muitos me acham irresponsável. Se tiver novidade no mercado, é comigo mesmo. Dizem que uma festa sem mim não decola, mas enjôo logo e caio fora. Meu ponto forte é a capacidade de lidar com situações novas e inesperadas. Vivo entre o presente e o futuro.
4- Sou extrovertido e direto. Não tenho muita paciência e vou logo passando por cima de todos. Tenho muita facilidade em ordenar e dar ordens. Todos reclamam não serem meus subalternos e que não consigo ter respeito por ninguém, mas sem mim, tudo fica estagnado. Ajudo e me dôo facilmente, desde que me valorizem. Meu ponto forte é a liderança. Vivo para o futuro.
1- O Pensador
2- O Conservador
3- O Sedutor
4- O Desafiador
Essas primeiras caracterizações já podem nos dar uma idéia de que esses “padrões” se repetem em muitas circunstâncias, principalmente nos ambientes de trabalho. Poder enxergar o outro a partir do temperamento ajuda a tirar uma grande “carga emocional negativa” e, ao mesmo tempo, podemos passar do julgamento à compreensão.
Se você se encaixa minimamente em uma das quatro caracterizações, ou reconhece alguém muito próximo a si, deve estar se perguntando: de onde e o porquê dessas ações e reações. A única resposta plausível é o próprio destino, ou se preferirem, o próprio karma, mas não o destino-karma estático que nos coloca como vitimas. É preciso ir além e isso significa: somos responsáveis por nossas ações e, principalmente, devemos aprender a aceitar esses “condicionamentos” que foram, de certa forma, gerados por nós mesmos.
A herança genética que recebemos dos pais é deixada para trás após os 14 anos de idade e, a partir daí, começamos um caminho de individuação que deve nos conduzir ao encontro de nós mesmos. Esse encontro, nem sempre tão claro e fácil, a meu ver, passa pela compreensão dos temperamentos pessoal e do próximo, ajudando a entender as “diferenças” que só são possíveis por sermos individuais.
Fisicamente, os 4 temperamentos se mostram mais freqüentemente da seguinte forma:
Melancólico – Alto e encurvado
Fleumático – Médio e roliço
Sanguíneo – Médio e proporcional
Colérico – Baixo e compacto
O Melancólico necessita de contato físico e expressão, sendo a massagem e o teatro as melhores indicações. O Fleumático precisa de atividade interior, e para este indica-se pintura ou modelagem. O Sanguíneo precisa se ancorar, sendo o canto e atividade manual (como a marcenaria) as mais indicadas. Por fim, as indicações para o Colérico são o esporte de confronto (judô, jiu-jitsu etc) pois ele precisa de limites. Euritmia curativa é indicada para os quatro, assim como atividades artísticas que demandam tempo para serem dominadas (instrumentos musicais, teatro ou pintura).
Os 4 temperamentos constituem a porta mais direta e acessível do autoconhecimento, embora necessitemos desenvolver nossa percepção para tal. Com essas noções, o mundo ao nosso redor ganha um sentido novo e, ao mesmo tempo, compreendemos as reações humanas com mais amor e tolerância.
*Samir Wady Rahme é médico antroposófico formado pela UFJF e em Composição e Regência pela Unesp. Presidiu a Associação Brasileira de Medicina Antroposófica por três mandatos [1999-2005]; é Maestro do Projeto “Música nos Hospitais”, desde 2002. Natural de Juiz de Fora [MG]é pai de três filhos – Maira, Rafael e Yasmin. Participou como especialista convidado do programa Papo de Mãe sobre PERSONALIDADES, exibido em 03.07.2011.
***
DICA DE HOJE
Teste dos temperamentos - Clique aqui

***
UTILIDADE PÚBLICA
Poupatempo tem semana de combate à Hepatite C
Campanha será realizada nas Unidades Cidade Ademar e Itaquera, na Capital paulista, entre os dias 4 e 8 de julho
Serão realizados mais de 5 mil testes gratuitos para detecção da doença, sendo cerca de 2 mil no Posto da zonal sul da Capital e 3 mil no da zona leste. A campanha tem como objetivo levar orientações à população sobre a doença e as formas de prevenção. Além da realização dos testes, profissionais da área de saúde vão distribuir folhetos explicativos e tirar dúvidas dos cidadãos presentes. A ação acontece até o 8 de julho, das 9 às 17 horas e, em caso de diagnóstico positivo para a hepatite C, o cidadão será encaminhado ao acompanhamento ambulatorial especializado.
A Hepatite C é uma inflamação do fígado causada por meio da infecção pelo vírus HCV (ou VHC), transmitido através do contato com sangue contaminado. Essa inflamação ocorre na maioria das pessoas que adquire o vírus e, dependendo da intensidade e tempo de duração, pode levar à cirrose e ao câncer do fígado.

segunda-feira, 4 de julho de 2011

A PERSONALIDADE DOS NOSSOS FILHOS

Olá!!!
PERSONALIDADES é o nosso tema esta semana! E para começar, nada melhor do que dicas legais de leitura, que vão ajudar vocês a entender e a lidar um pouco melhor com os diferentes tipos de personalidade que cada filho possui.

Para o pediatra e homeopata Carlos Roberto Brunini, autor do livro “Como entender e criar seu filho para a vida”, é preciso aceitar e respeitar o temperamento dos pequenos, sem exigir que eles se enquadrem em padrões preestabelecidos ou mais bem vistos pela sociedade.

No livro "Timidez - como ajudar seu filho a superar problemas de convívio social”, psicólogos americanos comentam o que os pais podem fazer para ajudar seus filhos a livrar-se das amarras sociais e a encontrar os prazeres da vida ao lado da família e dos amigos.

****
Para quem ficou interessado na reportagem de Rosângela Santos sobre o curso extra escolar, veja dica abaixo!
FasTracKids oferece curso de férias em julho
Dias de descanso mais divertidos e com um mundo de descobertas
A rede de franquias de cursos extracurriculares FasTracKids oferece um “Mundo de Descobertas” para as crianças nas férias de julho. As unidades de São Paulo prepararam um leque de opções lúdico e atraente para divertir as crianças durante as férias. O intuito do curso é oferecer atividades divertidas e bastante interessantes para que as crianças aproveitem o contato com temas novos e os pais tenham a certeza de que deixarão os filhos em um lugar seguro e fascinante durante os dias de recesso escolar.
As “sessões” terão uma sequência de assuntos diferentes do roteiro fixo do curso oferecido pela rede para que as crianças descubram que é possível realizar experiências incríveis para entender fatos do dia-a-dia. Entre elas estão:
- Descobrir como são formadas as crateras da Lua através de experiências;
- Descobrir como funciona um refrigerador e imitar a produção do vapor;
- Simular o que acontece dentro de uma lâmpada;
- Descobrir as diferentes etapas de produção de um cobertor de lã ao acompanhar o que é necessário para fazer o produto e vendê-lo etc.
São 2 horas diárias de atividades para crianças entre 4 e 10 anos e os horários serão definidos de acordo com a preferência dos pais. A quantidade de dias na semana que os pequenos irão ao FTK também é definida pelos responsáveis.
Confira abaixo todos os detalhes sobre o Curso de Férias “Mundo de descobertas” FasTracKids 2011:
Temas abordados: Astronomia, Tecnologia, Biologia, Economia, Literatura Criativa e Metas e Lições de Vida. Período total: de 04/07 até 29/07. Horários: os horários são variados, para verificar o mais adequado o cliente deve entrar em contato com a unidade de sua preferência. Valores: R$150,00 o pacote com cinco sessões. Preço por uma sessão R$50,00. Local: São Paulo - Alto de Pinheiros, Campo Belo e Moema.
Para saber mais sobre o FasTracKids: www.fastrackids.com.br - Twitter: fastrackids_bra -Facebook: fastrackids brasil. Tel.: (11) 5573-4777 / e-mail: [email protected].

sexta-feira, 1 de julho de 2011

PERSONALIDADES É O TEMA DO PROGRAMA DESTE DOMINGO!

Uma criança ou um adolescente com uma característica bem forte. Pode ser tímido demais, agressivo, comunicativo, medroso. Até que ponto isso é um traço de personalidade que deve ser respeitado e quando vira um problema? E sobre a teoria dos 4 temperamentos, você já ouviu falar? No Papo de Mãe deste domingo, 03/07, vamos bater um papo com mães de filhos de personalidades bem marcantes.
E para nos ajudar nesta conversa, Mariana Kotscho e Roberta Manreza recebem especialistas: a psicoterapeuta infantil Ada Morgenstern e o médico antroposófico Dr. Samir Rahme.
Após o programa, converse com a gente pelo chat no blog até às 21 horas. Durante a semana, acompanhe as nossas postagens sobre o tema. Siga o programa pelo Twitter (@papodemae), pelo Facebook, pela Rede Mulher & Mãe e pelo Orkut. Assine o nosso Feed para receber as nossas atualizações e torne-se nosso seguidor. E para entrar em contato com a nossa equipe escreva para [email protected]
Papo de Mãe é um programa imperdível para quem vive as dores e as delícias da vida em família. Informal com informação. Emocionante. Interativo. E com muita prestação de serviço. Neste domingo, 03/07, às 7 da noite, na Tv Brasil.