Aos domingos, 15h30
Reprise aos sábados, 11 horas
Na TV Brasil

sexta-feira, 30 de abril de 2010

TDAH - Transtorno do Déficit de Atenção com Hiperatividade

Oi, gente!
O assunto da semana no Papo de Mãe é problemas psiquiátricos, psicológicos e neurológicos que podem afetar as crianças e os adolescentes.
Para a postagem de hoje, escolhemos um assunto que vem se tornando cada vez mais conhecido e preocupante: o TDAH – Transtorno do Déficit de Atenção com Hiperatividade ou DDA - Distúrbio do Déficit de Atenção.
Trata-se de transtorno neurobiológico, de causas genéticas, que aparece na infância e freqüentemente acompanha o indivíduo por toda a sua vida. Acomete entre 3 a 5% das crianças em todo o mundo e caracteriza-se por sintomas de desatenção, inquietude e impulsividade. Reconhecido oficialmente por vários países e pela Organização Mundial da Saúde (OMS), em alguns países, como nos Estados Unidos, os portadores de TDAH são protegidos pela lei e recebem tratamento diferenciado na escola.
SINTOMAS:
As crianças com TDAH (em especial os meninos) são agitadas ou inquietas. Freqüentemente têm apelido de "bicho carpinteiro" ou coisa parecida. Na idade pré-escolar, estas crianças mostram-se agitadas, movendo-se sem parar pelo ambiente, mexendo em vários objetos como se estivessem “ligadas” por um motor. Mexem pés e mãos, não param quietas na cadeira, falam muito e constantemente pedem para sair de sala ou da mesa de jantar.
Possuem dificuldades para manter atenção em atividades muito longas, repetitivas ou que não lhes sejam interessantes. São facilmente distraídas por estímulos do ambiente externo, mas também se distraem com pensamentos "internos", isto é, vivem "voando". Nas provas, são visíveis os erros por distração (erram sinais, vírgulas, acentos, etc.).
Como a atenção é imprescindível para o bom funcionamento da memória, elas em geral são tidas como "esquecidas": esquecem recados ou material escolar, aquilo que estudaram na véspera da prova, etc. (o "esquecimento" é uma das principais queixas dos pais). Quando elas se dedicam a fazer algo estimulante ou do seu interesse, conseguem permanecer mais tranqüilas.
Isto ocorre porque os centros de prazer no cérebro são ativados e conseguem dar um "reforço" no centro da atenção que é ligado a ele, passando a funcionar em níveis normais. O fato de uma criança conseguir ficar concentrada em alguma atividade não exclui o diagnóstico de TDAH. É claro que não fazemos coisas interessantes ou estimulantes desde a hora que acordamos até a hora em que vamos dormir: os portadores de TDAH vão ter muitas dificuldades em manter a atenção em um monte de coisas.
Elas também tendem a ser impulsivas (não esperam a vez, não lêem a pergunta até o final e já respondem, interrompem os outros, agem antes de pensar). Freqüentemente também apresentam dificuldades em se organizar e planejar aquilo que querem ou precisam fazer. Seu desempenho sempre parece inferior ao esperado para a sua capacidade intelectual.
O TDAH não se associa necessariamente a dificuldades na vida escolar, embora esta seja uma queixa freqüente de pais e professores. Na verdade, é mais comum que os problemas na escola sejam de comportamento do que de rendimento (notas).
TRATAMENTO:
O Tratamento do TDAH deve ser multimodal, ou seja, uma combinação de medicamentos, orientação aos pais e professores, além de técnicas específicas que são ensinadas ao portador. A medicação é parte muito importante do tratamento. A psicoterapia que é indicada para o tratamento do TDAH chama-se Terapia Cognitivo Comportamental. E o tratamento com fonoaudiólogo está recomendado nos casos onde existe simultaneamente Transtorno de Leitura (Dislexia) ou Transtorno da Expressão Escrita (Disortografia).
O TDAH E A ESCOLA:
Muitos pais queixam-se da falta de apoio da escola quando o filho é portador de TDAH. Isto de fato acontece e uma das principais razões é a falta de informação e o despreparo dos professores. Pensando nisto, alguns especialistas reuniram dicas sobre como lidar com crianças com o transtorno.
1. Antes de qualquer coisa, os professores devem fazer uma avaliação para identificar qual é a dificuldade mais importante do aluno portador de TDAH e o que mais atrapalha o seu desempenho. Ao conseguir responder essas perguntas, o professor cria melhores condições para traçar as estratégias que aplicará em sala de aula.
2. O segundo passo importante é saber distinguir o que o portador é capaz de fazer do que ele não é, e assim não criar expectativas irreais. Recompensar progressos sucessivos ao invés de esperar pelo comportamento perfeito - essa seria a melhor dica!
3. Conversar com a criança e seus pais sobre o método mais fácil de estudo em casa. Isso facilita muito a vida dos portadores. Proponha aos pais alguns “experimentos” de formas de estudos diferentes até que seja encontrada a mais adequada para aquele aluno, contanto que inclua uma programação de estudo com intervalos e assim não acumular matéria.
4. Ambientes com muitos distratores / estímulos externos devem ser evitados. Uma sala de aula deve contar apenas elementos necessários para a situação de aula daquele momento. Murais com muitas informações ficam melhor colocados nos corredores por exemplo. Músicas ou barulhos externos com frequência também devem ser evitados.
5. No ambiente escolar, evitar instruções muito longas e parágrafos muito extensos! Isso certamente será apreciado e facilitará o aprendizado de todos os alunos sem exceção. Por exemplo, provas com enunciados longos funcionam muito mais como "armadilha" do que uma tentativa de escalrecimento da pergunta. Espaço entre as perguntas e clareza nas instruções são imprescindíveis para uma melhor realização de provas.
6. Uma boa forma de envolver todos os alunos e principalmente os portadores de TDAH é solicitar que um aluno a repita a instrução que você acabou de dar para a realização de uma determinada tarefa (alternância entre os alunos / aumenta a atenção de toda a turma)
7. Atividades que exijam maior integridade da atenção sustentada devem ser feitas preferencialmente no início da aula, ou seja, as tarefas que demandem mais atenção contínua por um péríodo de maior devem ser priorizadas e assim serem feitas no início da aula.
8. As provas deverão acontecer no primeiro tempo de aula. No último tempo, o aluno já teve várias aulas, de várias matérias, que acabam funcionando como elementos de distração e podem prejudicar todos os alunos, especialmente os portadores desnecessariamente.
9. Conscientizar os alunos portadores de TDAH do tipo de prejuízo que o comportamento impulsivo pode trazer tanto para ele quanto para o grupo. Os portadores precisam se dar conta de que interromper a fala da professora ou a andamento das atividades pode ser altamente improdutivo para ele e para o grupo. Isso deve ser feito individualmente e de forma que não culpe o aluno. Apenas sirva como uma conversa esclarecedora.
10.Por fim, utilizar todos os recursos que ajudem um aluno portador de TDAH a concentrar-se mais , tais como: lembretes em agendas e/ou cadernos; listas de tarefas; anotações em provas e trabalhos; quadro de avisos e cronogramas, servindo como ferramentas organizadoras de horários e datas importantes. Uma outra dica ainda dentro dessa dica é eleger junto com os alunos alguns representantes para serem responsáveis por cada um desses recursos.
O importante é o resultado e não o processo. Esse é um dos conceitos da educação inclusiva que não pode ser perdido de vista. O ideal não é tentar encaixar a todo custo um aluno com especificidades em um modelo educacional que mais dificulta do que facilita o aluno portador de TDAH a desenvolver sua competência.
OBS: Todas as informações contidas nesta postagem foram retiradas do site http://www.tdah.org.br/. Acesse e saiba mais!
---
Por enquanto é isto, pessoal. No decorrer da semana falaremos mais a respeito dos problemas abordados no programa. Não deixem de conferir as reprises do Papo de Mãe no domingo, 13h30 e na terça, 19h. E lembrem-se: a partir de 09 de maio o programa terá novo dia e novo horário: DOMINGOS, 19h.
---
Agora, para descontrair, fiquem com mais algumas “pérolas” dos filhos da apresentadora Mariana Kotscho:
Hoje vou colocar aqui neste espaço algumas perguntas que as crianças já fizeram em casa. Quem tiver uma boa resposta ou outra pergunta intrigante escreva nos comentários!
“ Mamãe , Adão e Eva eram amigos dos macacos e dos dinossauros?”
“Quando uma pessoa morre quando é que ela volta a viver?”
“Como você nunca tem dinheiro, posso pedir pra colocarem em casa uma maquininha daquelas que dão dinheiro?"
“Por que adulto pode beijar na boca e criança não?”
“Por que o relógio não espera a gente? Se ele esperasse um pouco a gente não chegaria atrasada...”
“Formiga solta pum?”
“Quanto é 2343 vezes 5897??? Responde rápido, você é adulta, tem que saber!”
E, pra terminar, outro dia cheguei a uma conclusão muito interessante (bom, pelo menos a minha filha de 7 anos achou interessante quando fiz a revelação pra ela): “Laura, você já percebeu que a mãe da sua avó é a avó da sua mãe?”. Bom, a Bisa Lúcia, de 85 anos, também achou muito curioso isso...
Por Mariana Kotscho

quarta-feira, 28 de abril de 2010

Problemas psicológicos, psiquiátricos e neurológicos



O Papo de Mãe inédito desta semana é sobre a saúde mental dos nossos filhos e os transtornos psicológicos, psiquiátricos e neurológicos mais comuns na infância e na adolescência. Autismo, gagueira, dislexia, déficit de atenção, hiperatividade, depressão e distúrbios alimentares serão alguns dos assuntos em debate. Entre os entrevistados, mães com diferentes histórias para contar e uma equipe multidisciplinar de especialistas.
Vocês não podem perder: Nesta quinta, 19 horas. Reprises no domingo, 13h30 e na terça, 19 horas.


Aviso importante aos telespectadores do Papo de Mãe!
A partir da próxima semana, o PAPO DE MÃE é aos DOMINGOS, 19 horas!!! Avisem seus amigos!!!
E tem mais...
Em breve a equipe Papo de Mãe entrará no estúdio para a gravação de novos programas. Os temas serão os seguintes:
1 – Visão: Quais são os problemas que afetam a visão dos nossos filhos e como podemos tratá-los?
2 – Educação: A preocupação das mães com a educação e formação dos filhos: mudanças no currículo escolar, repetência, aptidão, cursos técnicos, métodos educacionais, escola especial, entre outros.
3 – Medo: Por que será que nossos filhos sentem medo? Quais são os medos mais comuns e como enfrentá-los?
4 – Gravidez: Quais são os sintomas da gravidez? Os enjôos são comuns? A vontade de comer coisas estranhas é normal? Como deve ser feito o pré-natal? Quais os exames necessários? Como as mães se sentem logo após o parto?
5 - Vida Social: Como é a relação de seu filho com os outros? Ele é tímido ou extrovertido? Como se comporta na escola? Como é o relacionamento entre irmãos? Como lidar com as diferenças?
6 – Filhos sem pai: Depoimento de mães que criaram seus filhos sem a ajuda do pai e qual a importância da figura paterna para a formação de uma criança.
7 - Mãe a qualquer custo: O que leva certas mulheres a fazer de tudo para serem mães? Tratamentos, tentativas, sacrifícios... o que elas são capazes de fazer?
8- Filhos homossexuais: Como é ser mãe de um filho ou filha homossexual? Quais as implicações deste fato dentro da família? Como foi a reação de cada um ao descobrir a orientação sexual de seu filho e como lidar com o preconceito?
Caso você tenha se identificado com algum destes assuntos e tenha vontade de participar do PAPO DE MÃE, entre em contato conosco. Você pode ainda escrever um relato e/ou fazer uma pergunta para serem lidos no ar. Escrevam para contato@papodemae.com.br ou nos comentários abaixo. A participação de todos é muito importante para nós!
Um grande beijo e até mais!

PLANTÃO PAPO DE MÃE: por Roberta Manreza

Olá queridos amigos e amigas do Papo de Mãe! Obrigada pelo carinho de todos vocês. Estamos preparando os próximos programas que serão exibidos na TV Brasil e é incrível como a gente aprende, se emociona, dá risada e chora - tudo ao mesmo tempo! É uma delícia fazer o Papo de Mãe!!!
Bem, assim como a Mariana, sempre que puder, darei uma passadinha aqui no blog para bater um papo com vocês sobre algum fato ou curiosidade envolvendo a minha filha, Juliana, de 7 anos. Vou começar relatando um momento delicioso que pude acompanhar de perto:

A primeira vez que a Juliana andou de bicicleta sem rodinhas...
Aos seis anos de idade, achei que já era hora de tirar as rodinhas da bicicleta da Juliana. O primo dela, o Pedro, já pedala sozinho com muita segurança há mais de um ano. Coisa de menino, ele domina quase todos os esportes que pratica. Um pouco indiferente no começo e amedrontada também, lá foi a Juliana toda equipada para a sua primeira tentativa. Capacete, joelheira e cotoveleira nos seus devidos lugares e o pai da Juliana, o Sandro, correndo atrás dela, segurando a bicicleta sem soltá-la por várias voltas... Depois de muita insistência minha e do resto da família, ele a soltou. E não é que para a nossa surpresa ela dominou a magrela rapidamente?! Até agora não levou nenhum tombo de assustar a ponto de fazê-la desistir da empreitada. A Juliana segue firme na sua bicicleta. Ela ainda fez questão de colocar uma cestinha para levar a sua cachorra "Tinkerbell" para dar uns passeios. Mas é claro que ainda não tivemos coragem de incluir a pequena maltês na aventura. Como mãe da Juliana, estou bastante orgulhosa da minha filhota. E para vocês que estão vivendo esta fase, uma dica: as primeiras tentativas sãos mais seguras em terrenos mais fofos como um gramado ou na areia.

Falando em cachorros...
A Juliana tem muita curiosidade sobre as capacidades caninas. Como a maioria das crianças, ela sonhava com um filhote só para ela. Bastante responsável e amorosa com a sua cadela, Juliana, muitas vezes, faz coisas erradas na criação da "Tinker”- como já era de se esperar. Beijar a boca da cachorra é apenas um dos deslizes que a gente insiste em corrigir. Colocá-la na cama escondida debaixo do cobertor também. Mas com a ajuda da Cão Cidadão, empresa que já participou do nosso Papo de Mãe sobre animais de estimação, eu reuni algumas dicas e curiosidades interessantes para vocês, vejam só!
1. No melhor estilo “faça o que eu digo, não faça o que a Juju faz”(rsrs), beijar na boca do pet faz mal. Pela saliva, os cães podem transmitir doenças ao homem e vice-versa. A saliva do cachorro, por exemplo, pode transportar bactérias, vermes e fungos.
2. Os cães ouvem melhor do que os humanos. Eles conseguem ouvir um som a uma distância quatro vezes maior do que somos capazes.
3. Os cachorros têm o sistema de olfato muito melhor que o nosso também. Eles possuem cerca de 200 milhões de receptores para odores, enquanto os humanos têm apenas cinco milhões. Por isso, os cães são capazes de identificar cheiros que nós não percebemos.
4. Os caninos não enxergam algumas cores. Eles não conseguem diferenciar o verde e o vermelho, por exemplo.
5. E como não poderia deixar de ser, os cães não devem ser tratados como gente. Um animal sem identidade própria acaba tendo dificuldade ao se relacionar com outros caninos.
Agora gostaria que você contasse a sua história. Escreva alguma curiosidade do seu filho ou filha, algum feito que tenha deixado você orgulhoso (a) e/ou com vergonha. Vale tudo, só não vale não participar!!!
Um grande beijo!
Roberta Manreza,
  jornalista, apresentadora e mãe de uma menina de 7 anos.
 

segunda-feira, 26 de abril de 2010

Vacinação: prematuro imunizado é prematuro protegido!

Uma campanha lançada no início deste mês, em todo o Brasil, pela Sociedade Brasileira de Imunizações (SBIm), com o apoio do Instituto Abrace e dos laboratórios Abbott pretende chamar a atenção de pais e médicos sobre a importância de imunizar os bebês prematuros. Chamada de Prematuro Imunizado é Prematuro Protegido, a campanha visa estimular o uso de um calendário especial de vacinação para os prematuros, nascidos com menos de 37 semanas de gestação, e que são mais suscetíveis a doenças, principalmente as respiratórias.
São várias as condições que tornam os prematuros mais sujeitos a risco. Além de sua imaturidade imunológica,  esses pequenos pacientes, devido à longa permanência nas UTIs neonatais, nem sempre são amamentados, sendo privados desse importante fator de proteção. Além disso, muitas vezes, estão recebendo medicamentos que reduzem a sua imunidade, são portadores de doenças pulmonares, cardíacas, anemias e outras condições debilitantes.
Uma das doenças que o prematuro pode adquirir é a bronquiolite, provocada pelo vírus sincicial respiratório (VSR) e que pode levar a um quadro de asma no futuro. A doença é transmitida pelo ar e o contato direto entre pessoas, sendo mais comum no Brasil entre os meses de abril e setembro. Os sintomas geralmente são reconhecidos pela febre, coriza, tosse, espirros e chiado no peito.
Não existe vacina contra a bronquiolite, mas em prematuros (as maiores vítimas da doença) pode ser feito um tratamento profilático, que está previsto no calendário de vacinação. Esta proteção pode ser obtida através da utilização de uma imunoglobulina específica, que nada mais é do que um anticorpo pronto, direcionado contra o vírus, que é conhecido como palivizumabe. Ele deve ser oferecido aos lactentes de risco durante a sua fase de circulação (sazonalidade). São considerados recém-nascidos altamente recomendados para receber a profilaxia os prematuros nascidos com menos de 28 semanas de gestação (sete meses) e os portadores de doença cardíaca e de doença respiratória crônica. Pré-termos nascidos com 29 a 32 semanas também podem se beneficiar da prevenção. São cinco doses mensais consecutivas, aplicadas através de uma injeção intramuscular (na dose de 15 mg por quilo de peso do bebê). Prematuros que recebem alta hospitalar durante a sazonalidade do VSR devem receber a primeira dose ainda na maternidade, antes da alta.

CALENDÁRIO DE IMUNIZAÇÃO DO PREMATURO
Para maiores informações acessem: http://prematuroimunizado.com/
E não percam nesta terça-feira, 19 horas, a última reprise do Papo de Mãe sobre Prematuros!
A seguir, confiram um trecho do programa:
Fiquem agora com as belas palavras de Mariana Kotscho, dedicadas às suas duas filhas: Laura e Isabel
L'aura
A aura de Laura é linda
Linda, leve, luz
Luz que brilha e ilumina
O lar de Laura
(mamãe Mariana - março 2003)
---
Bela Bel
Isabel, Isabel
A bela Bel
Quer alcançar as estrelas do céu
Das abelhas quer o mel
Da noiva quer o véu
Beleza, beldade, Bebel
Doce como pão-de-ló
Bonita como ela só
A bela Bel
(mamãe Mariana - março de 2010)
Agora escreva você (logo abaixo nos nossos comentários) um verso, um poema ou simplesmente uma declaração para seu filho ou sua filha. É papo de mãe, mas os papais também participam!
Um grande beijo e até mais!

domingo, 25 de abril de 2010

PLANTÃO PAPO DE MÃE: por Mariana Kotscho

Queridas e queridos leitores deste blog e telespectadores fiéis do Papo de Mãe na TV Brasil.
Obrigada a todos pela audiência. Cada vez mais acredito que o nosso programa está cumprindo o seu objetivo: o de informar e prestar um serviço à sociedade.
A partir de hoje, também aqui neste espaço, vou (sempre que possível) bater um papo de mãe.
Todos os e-mails enviados a nós são lidos, respondidos e, quando necessário, encaminhados. A participação de vocês com comentários, sugestões, críticas e perguntas é muito importante para o programa. Seja aqui nos comentários ou pelo e-mail do nosso contato.
Aliás, graças a este e-mail e ao programa da semana retrasada sobre filhos desaparecidos acabamos de encontrar uma filha sumida há mais de 10 anos. Por questões de segurança, ainda não posso revelar detalhes desta bela história – mas em breve colocarei aqui uma reportagem.
E ATENÇÃO PARA A NOVIDADE!!! A partir de maio, o Papo de Mãe estreia em novo dia e horário: domingos às 19h00. Ótimo para quem andava sem opções de programação de TV no domingo. E melhor ainda para as mamães que trabalham e não conseguiam assistir durante a semana.
Conto com a ajuda de todos para divulgar o Papo de Mãe!
Um grande beijo,
Mariana Kotscho, mãe, jornalista e apresentadora do Papo de Mãe
---
PARA DESCONTRAIR...
Coisas que acontecem durante madrugada...
Outro dia Isabel me acordou às 4 da manhã para me fazer uma revelação importante: “ Mamãe , eu não sou mais a Branca de Neve. Agora eu sou a Uniqua”
Durante a madrugada duas criancinhas vão silenciosamente para minha cama. Eu só percebo quando sinto um xixi bem quentinho molhar minhas costas. Então pensei “Poxa se acordaram pra vir pra minha cama porque não passaram antes pelo banheiro?” Achei melhor procurar um sofá sequinho....

Pérolas do vocabulário infantil...
André: “ Mamãe , a Bebel me mordeu”
Bebel: “ Mamãe , eu não mordei o André”
E por aí vai: “ Mamãe eu já escovi os dentes”, “ Mamãe eu já se vesti”, “ Mamãe eu vi uma borboleta que tava morrida
Do João: “Tia Mari, eu sou imortável

Escreva abaixo o seu comentário sobre as surpresas durante a madrugada ou sobre o vocabulário das crianças. Alguns textos poderão ser lidos no programa!!!!
Por Mariana Kotscho,
mãe de duas meninas de 7 e 4 anos e de um menino de 2.

sexta-feira, 23 de abril de 2010

Cartilha do Prematuro: cuidados e orientações

Olá, como vocês já sabem, o tema do Papo de Mãe desta semana é PREMATUROS.
Durante o programa, uma série de questões importantes foram levantadas e, no decorrer da semana, abordaremos algumas delas aqui no blog.
Sabemos que é considerado prematuro o bebê que nasce antes de completar 37 semanas de gestação. Por este motivo, o prematuro é considerado um bebê biologicamente mais vulnerável devido à sua imaturidade orgânica, necessitando, muitas vezes, de um período de internação hospitalar mais prolongado do que os bebês nascidos a termo.
No ambiente hospitalar, o bebê prematuro é cercado de cuidados e recebe todo o atendimento que necessita. Mas o que fazer quando um prematuro recebe alta? Como cuidá-lo? Até quando será que ele precisa de cuidados diferenciados? E será que realmente precisa?
Obviamente, vai depender de cada caso. Prematuros com sequelas resultantes do nascimento precoce  necessitarão de um acompanhamento médico (muitas vezes multidisciplinar) ao longo do seu desenvolvimento, ao contrário daqueles que não apresentam qualquer comprometimento, que poderão seguir uma vida normal.
Quando um bebê nasce, o maior desejo da mãe e da família é que todos possam ir logo para casa juntos. Mas para a mãe de um prematuro, nem sempre a alta hospitalar é um momento tranquilo. Embora isto seja o que ela mais deseja, é muito comum que ela se sinta insegura e despreparada diante de um ser que parece tão indefeso.
Foi pensando nas mães e nas famílias de prematuros que foi criada a CARTILHA DO PREMATURO (Cuidados com o Bebê Prematuro: orientações para família) – um trabalho pioneiro desenvolvido por Luciana Mara Monti Fonseca, enfermeira e pesquisadora da Escola de Enfermagem da USP de Ribeirão Preto (EERP) - cujo objetivo é justamente orientar mães e familiares de prematuros sobre os cuidados necessários após a alta hospitalar.
Na opinião de Luciana, “devido ao próprio distanciamento necessário entre o período da internação da criança prematura e a retomada do contato materno, muitas mães temem cuidar deste bebê em casa por achá-lo muito frágil. Além disso, carregam a concepção de que o prematuro necessita de cuidados especiais que elas não podem fornecer". No entanto, a mesma alerta: “o prematuro não precisa viver numa redoma de vidro. A partir da orientação do profissional de saúde e da leitura comentada da cartilha, a mãe vai, aos poucos, incorporando hábitos como a necessidade do acompanhamento pediátrico e a importância da amamentação para este novo ser que chega".
Na verdade, tudo é uma questão de tempo e adaptação. Por mais frágil e pequeno que seja o bebê, ninguém é mais indicado para cuidar dele do que sua própria mãe, orientada por um pediatra de confiança e amparada pela família.
A íntegra da CARTILHA DO PREMATURO (Cuidados com o Bebê Prematuro: orientações para família), vocês encontram acessando o link:
Não percam as próximas postagens do blog e as reprises do programa neste domingo,13h30, e na terça, 19h.

Agora, com a palavra, nossa telespectadora Thaís, mãe dos gêmeos Augusto e Vinícius, prematuros de 29 semanas, hoje com 6 anos de idade:
Olá Pessoal!
Assisti ontem o programa e me apaixonei, pois o relato da Erica é a minha vida, a minha luta diária com meu filho Augusto (tenho gêmeos nascidos de 29 semanas).
Me senti em casa e vi que não estou sozinha nessa batalha. Realmente uma de nossas principais dificuldades é encontrar uma escola adequada para nossos filhos. Há 6 anos que procuro por isso e está difícil.
Adorei o programa, já passei por tudo isso com meus filhos (Augusto e Vinicius) mas vale apena, pois eles nos recompensam com muito carinho e amor. Obrigada por atenderem um pedido meu, pois o programa do dia 29 será sobre problemas que enfrento com o Augusto, espero que me ajude com algumas dicas.
Parabéns pelo programa! Estou enviando uma foto dos meus tesouros, Augusto e Vinícius, que são verdadeiros guerreiros, pois lutaram durante 63 dias na UTI e hoje nos provam que Deus existe e nos mostram diariamente que vale muito a pena viver cada dia intensamente.
Um beijo pra todas vocês que fazem esse programa maravilhoso!
Thais
Querida Thais, quem merece os parabéns é você por ser esta super mãe e pela linda família que você tem! Muito obrigada por sua audiência e participação!
Para finalizar, a nossa DICA DE HOJE é o lançamento do livro: Palavra de Criança, de Luiza Meyer. Acesse: http://palavradecrianca.wordpress.com/
Um grande beijos a todos e até mais!
 

quinta-feira, 22 de abril de 2010

Prematuros: relato de uma mãe

Olá, pessoal!
O assunto da semana no Papo de Mãe é Prematuros. E nós gostaríamos de compartilhar com vocês o belo relato que recebemos da nossa telespectadora Karina Dutra, mãe do João Ricardo, do Rio de Janeiro. Ela nos conta em detalhes como foi a chegada do seu pequeno guerreiro, que nasceu prematuro. É uma história muito bonita, de muita força, fé e união. Confiram!

CORAÇÃO VALENTE
Por Karina Dutra 

"Oi, meu nome é Karina e junto com o Ricardo nos tornamos pais de um lindo e guerreiro menino chamado João Ricardo.
Significados:  João: Deus tem compaixão, Deus é misericordioso; Ricardo: Príncipe forte, que tem um coração valente.
Essa é de fato a personalidade do nosso menino: Coração Valente.
Eu e meu marido nos casamos em 2002 e desde então estávamos sonhando em ter um bebê. Tentamos algumas vezes, evitamos outras. Pensamos em organizar nossas vidas primeiro, mas depois o desejo de ter um filho vinha ainda mais forte... E assim se passaram alguns anos até que em agosto de 2007 nos descobrimos grávidos.
Tive uma gravidez muito conturbada com muitos picos de pressão arterial. Então, no dia 22 de fevereiro de 2008 acordei muito inchada, mal podia fechar as mãos, pois as palmas estavam enormes, minhas pernas doíam e sentia uma dor incômoda na nuca.
Liguei para minha médica e ela achou melhor que eu fosse até o hospital para verificar a pressão. Chegando lá, eu estava com 14x9, então mandaram que eu voltasse para casa, mas se chegasse a 15x9, retornasse ao hospital.
Mal chegamos em casa e os incômodos aumentaram. Então verificamos que a pressão já estava em 15x9 e voltamos para o hospital, onde me encaminharam para a emergência. Lembro de ter visto no celular que eram 17 horas. Minha prima que era estudante de enfermagem ficou comigo o tempo todo, enquanto minha sogra ficava resolvendo questões de internação, ligando para meu marido, minha mãe, enfim, mantendo todos informados.
Minha prima Ana foi um anjo naquele momento, me distraindo para que eu não percebesse a elevação da pressão e ficasse ainda mais nervosa. Ela sabia que era uma situação tensa e muito preocupante.
Às 20 horas, ainda na emergência (era época de surto de Dengue no Rio de Janeiro e os hospitais estavam lotados, então precisei ficar por muito tempo na emergência), minha médica ligou para a plantonista para saber como estavam as coisas. Lembro de ter escutado ela dizer que havia chegado a 18x10. Fiquei preocupada, mas achei que fosse ficar tudo bem e que eu voltaria para casa, sem maiores problemas.
Meia noite, minha médica chegou ao hospital, e com um ar delicado e meigo, que é típico dela, segurou minha mão e disse que havia chegado o momento: teríamos que interromper a gravidez.
Aquele momento foi muito difícil. Lembro de ter olhado para a minha prima, e mesmo tentando disfarçar, vi seus olhos cheios de lágrimas.
Fomos para o centro cirúrgico. Quando estava quase entrando, meu marido chegou. Eu esperei tanto por ele! Vi que ele estava com as coisinhas do nosso bebê, mal sabíamos que não seriam necessárias naquele momento...
A 1h14 da manhã o nosso bebê já havia nascido, com 1,630 kg e 44 cm. Tão lindo, chorão, mas tão frágil e pequenino. Fiquei alguns segundos com ele, pude até dar um beijinho em sua testa. Foi um momento sublime em minha vida! Ele parou de chorar assim que o toquei... Mas dali fui para o CTI e ele para UTINeo.
Fiquei 3 dias no CTI, pois minha pressão chegou a 22x14. O nosso bebê ficou 24 dias na UTI. Nos 3 primeiros dias, ficou recebendo apenas a visita do papai até que eu recebesse alta do CTI.
Pedi para o meu marido me ajudar a me arrumar. Coloquei uma camisola azul de seda e renda, que minha mãe havia comprado para mim. Disse que eu deveria estar linda para ver meu filhote. Minha mãe é um ser muito especial! Respirei fundo e lá fomos nós: eu, meu marido e a enfermeira que empurrava a cadeira de rodas. Aqueles corredores pareciam não ter fim...
Quando entrei na UTINeo me bateu um desespero. Eram tantos bebês, alguns até menores e mais frágeis que o nosso João. Não pude conter as lágrimas e chorei muito, muito mesmo!
Foi aí que meu marido me segurou e falou que eu não deveria chorar, pois o João iria precisar de mim. Eu teria que ser forte para passar força para ele.
Confesso que me senti fraca muitas vezes, mas quando percebia que não aguentaria, segurava sua mãozinha e dizia o quanto lhe amava. Ele tinha um olhar firme e sempre que eu falava, ele fixava o olhar em mim. Era algo mágico...
Foram dias de suspense, angústia, incerteza, mas de muita fé. Meu marido e eu ficamos muito unidos naquela época, era uma espécie de solidariedade mútua. O João ficou 14 dias na incubadora, e então foi para o bercinho. Precisava apenas ganhar peso e aprender a sugar.
No vigésimo terceiro dia de UTI, as enfermeiras me avisaram que eu precisaria aprender algumas coisas para poder cuidar dele em casa. Fiquei um pouco zonza, sem entender. Naquele mesmo dia, alguns bebês receberam alta. Fiquei tão feliz, mas ao mesmo tempo me bateu uma certa inveja: queria tanto estar no lugar daquelas mães! Mas eu tinha fé em Deus que meu momento chegaria logo.
No dia seguinte, era dia de visita dos avós. Como só podiam ficar duas pessoas por vez, pedi que minha avó e meu avô fossem primeiro. Fiquei do lado de fora com meus sogros, até que eles resolveram dar uma saída e fiquei sozinha do lado de fora aguardando.
A Drª Silvia me encontrou no corredor e falou: - E aí, está pronta? Não entendi, mas mesmo assim disse que sim. Então ela falou: - Pode ir lá, arruma ele bem bonitinho!cContinuei sem entender. Foi aí que perguntei: - Arrumar? É o que estou entendendo? - É! Ele vai para casa hoje!
Minha mãe e meus sogros saíram do elevador na mesma hora e me encontraram aos prantos. Mal podia falar... Eles chegaram a pensar que havia acontecido alguma coisa ruim (afinal, vida de UTI é uma montanha russa), até que a Drª Silvia falou que o João havia recebido alta e por isso que eu estava sem voz. Foi uma festa!
Então, no dia 18 de março de 2008 saímos do hospital com nosso filho nos meus braços.
Depois de sua alta da UTI, ainda enfrentamos 2 internações de 10 dias cada: uma por conta de rotavírus e a outra por conta de uma pneumonia. Foram mais momentos de incertezas e angústias, mas que já foram superados.
Hoje, 10 de dezembro de 2009, o João já está com quase 1 ano e 10 meses, tem 13,800kg, 86cm, fala um monte de palavras, corre pela casa toda, é birrento, bagunceiro, manhoso e gostoso. Enfim, essa é uma pequena parte da história do nosso CORAÇÃO VALENTE!
---
Querida Karina!
Toda equipe do Papo de Mãe agradece pelo seu relato que, sem dúvida alguma, ajudará muitas mães que estão passando pelo que você passou. Desejamos muita felicidade a você e à sua linda família. Muito obrigada pela audiência e pela participação!

Bom, pessoal, no decorrer da semana, continuaremos tratando do tema PREMATUROS. Não percam o programa de hoje (quinta), às 19 horas e as reprises no domingo (13h30) e na terça (19 horas).

IMPORTANTE!!!
Antes de encerrar a postagem de hoje, gostaríamos de pedir ajuda de vocês para encontrar a família deste rapaz:
Atualmente ele se encontra na Associação Beneficente de Pindorama/SP, onde vive desde 2005. Segundo informações, o rapaz - que hoje é carinhosamente chamado por Cidinho pelos funcionários da associação - foi vítima de um atropelamento de trem e chegou a ficar 5 meses internado em um hospital. Como não portava documentos e sequer lembrava seu nome ou qualquer informação que pudesse identificá-lo, foi transferido para a associação, e lá está até hoje a espera de que algum familiar o encontre.
Por favor, se alguém tiver alguma informação sobre quem seja este rapaz ou sobre sua família, escreva para contato@papodemae.com.br. Muito obrigada pela atenção!
Um grande beijo e até logo mais!

quarta-feira, 21 de abril de 2010

Próximo programa: PREMATUROS

Olá!!!
O Papo de Mãe desta semana é sobre PREMATUROS.
Segundo a Organização Mundial de Saúde (OMS), um em cada dez nascimentos em todo o mundo é prematuro. No total, são aproximadamente 130 milhões a cada ano.
No Brasil, conforme dados do Ministério da Saúde, 6,7% dos partos ocorrem antes da hora e, em dez anos, o nascimento de bebês prematuros cresceu 27% em todas as regiões do país.
No estúdio, convidados com histórias emocionantes e um bate-papo com especialistas sobre as causas que envolvem a prematuridade, os cuidados no pré-natal e com os bebês e os avanços da medicina. Entre os destaques, Rosângela Santos mostra como funciona uma UTI neonatal e o método canguru.
Vocês não podem perder: nesta quinta, 19 horas. Reprises no domingo, 13h30 e na terça, 19 horas.
E durante toda a semana estaremos abordando o assunto aqui no blog. Participe. Escreva para contato@papodemae.com.br ou nos comentários abaixo e faça seu relato e/ou envie sua sugestão.
Assine nosso FEED ou torne-se um de nossos SEGUIDORES. Acompanhe também nossos perfis no twitter,  no facebook e no orkut!   
Um grande beijo e até mais!!!

domingo, 18 de abril de 2010

Desaparecidos: o programa

Oi, pessoal!
Estamos de volta para tratar do assunto da semana: DESAPARECIDOS. E continuamos empenhados na divulgação de fotos e com a esperança de ajudar de alguma forma as famílias dos desaparecidos em suas incansáveis buscas.
Um dos casos que chamou atenção no Programa foi o misterioso desaparecimento do escoteiro Marco Aurélio Simon, em 08/06/1985. Em entrevista exclusiva ao Papo de Mãe, o pai,  Ivo Simon, conta que seu filho tinha 15 anos quando desapareceu. Ele estava numa excursão no Pico dos Marins, junto a seu grupo de escotismo, quando um dos escoteiros se machucou. Marco Aurélio, como monitor da equipe, foi então designado para ir a frente do grupo em busca de socorro. Depois de partir a fim de cumprir a determinação, o escoteiro sumiu sem deixar qualquer vestígio. Hoje, passados 25 anos, a família ainda sofre com incerteza sobre o destino de Marco Aurélio, embora mantenha viva a esperança de reencontrá-lo.
Gente, o drama da família de Marco Aurélio é o mesmo de muitas outras. Portanto, se vocês tiverem alguma informação sobre qualquer desaparecido, entrem em contato conosco.

Assistam ao programa:
Mais fotos:

José Mairton de Lima
Data de nascimento: 7/9/1983
Data de desaparecimento: 22/1/2010
Visto pela última vez no Metrô sentido Diadema - Brooklin -SP.
Vestia calça azul, camisa branca com detalhes azul, blusa de moleton cinza, tênis Topper azul.



Anderson Porfirio da Silva
Data de nascimento: 6/4/2001
Data de desaparecimento: 8/4/2008
Itaim Paulista-SP





Felipe Damsceno Machado
Data de nascimento: 29/1/1991
Data de desaparecimento: 3/11/2008
Parelheiros - SP





Fidelço Ferreira da Costa
Data de nascimento: 21/2/1979
Data de desaparecimento: 6/2/2009
 Jardim Revista em Suzano -São Paulo





William Carvalho de Almeida
Data de nascimento: 1/1/1992
Data de desaparecimento: 29/9/2008
Baixada Fluminense-RJ






Herison Ramon Sanches Farias
Data de nascimento: 1/1/1995
Data de desaparecimento: 10/1/2007
Maricá- RJ





Pessoal, nesta terça-feira tem a última reprise do programa sobre DESAPARECIDOS. Não percam: 19 horas, na TV Brasil!


Obrigada a todos pela audiência!
Um grande beijo!
Em tempo: o site dos desaparecidos políticos é o http://www.desaparecidospoliticos.org.br/

sexta-feira, 16 de abril de 2010

Desaparecidos: onde eles estão???

Olá pessoal!
Quem já perdeu uma criança por alguns instantes sabe bem como é a sensação de desespero que toma conta da gente. Agora, imaginem para quem está há anos sem qualquer notícia do paradeiro de seu filho? O Papo de Mãe desta semana traz o tema DESAPARECIDOS.
Quem acompanhou o programa, se emocionou com os depoimentos de mães que perderam seus filhos e há anos estão sem notícias. É o caso de Ivanise Esperidião da Silva Santos, presidente da ONG Mães da Sé, que está a procura da filha desde 23/12/95. Sua filha, Fabiana Esperidião da Silva, desapareceu quando voltava da casa de uma amiga da escola, durante a noite, em Pirituba. Hoje, a menina estaria com 28 anos de idade.
Para Neusa de Moura o drama é o mesmo: seu filho, Leandro Annanias de Moura, desapareceu aos 17 anos de idade, em 08/09/2000, perto de sua residência. E lá se vão 10 anos de muita angústia, espera e nenhuma informação.
Não dá para descrever o sentimento de uma mãe cujo filho desapareceu. Como bem colocou a terapeuta Sílvia Lobo, lidar com o desaparecimento de um filho é muito diferente do que lidar com a morte. Embora ambos sejam casos dolorosos e de muito sofrimento, no caso da morte a pessoa sabe o que aconteceu. Os pais e familiares têm direito ao luto e a enterrar o seu filho. Já no desaparecimento, o que se tem é um vazio cercado de perguntas e nenhuma resposta.
Na verdade, o que se tem é o nada: nenhuma notícia, nenhuma informação, apenas a esperança do reencontro. Mas o que dá força a essas mães é justamente a esperança. Segundo Ivanise, mãe de Fabiana, “a única causa perdida é aquela que você abandona”, e nenhuma mãe desiste do seu filho, não é verdade?
Em respeito a todas essas famílias de crianças e jovens desaparecidos e à busca incansável pelo seu paradeiro, não se tem muito mais o que falar, mas sim, mostrar. Portanto,  seguem as fotos de alguns deles e o encarecido pedido do Programa para que vocês prestem bastante atenção e vejam se podem ajudar de alguma forma. 
Pedro Luis Caroli
Data de nascimento:29/6/1990
Data de desaparecimento:11/5/2009
Pedro,18 anos, vestia bermuda social azul marinho, camiseta branca com laranja e preto, tênis azul marinho.Estava a pé,visto a última vez no ponto de ônibus perto de casa. Pegou lotação sentido Pirituba e desde então sua família não teve mais notícias de seu paradeiro.


Sthefany Maria da Silva
Data de nascimento: 30/4/1998
Data de desaparecimento: 12/3/2010
Vista última vez próxima de casa, perto do Supermercado Compre Bem no bairro de Santa Josefina, em Santo Amaro/SP. Estava a pé e sozinha. Vestia Macacão bege com listras marron, sandália rasteira de plástico.





Jacqueline Santos Martins
Data de nascimento: 10/10/1989
Data de desaparecimento: 5/3/2010
Terminal de onibus Belém.SP.
Vestia blusa verde, calça preta, tênis cinza.

 

 
Eliaquim de Souza
Data de nascimento: 13/10/1997
Data de desaparecimento: 29/1/2010
Foi visto pela última vez em no Largo da Batata em Pinheiros - SP.


 



Natalina Natacha Soares Simões
Data de nascimento: 1/10/1996
Data de desaparecimento:3/12/2009
Saiu de casa com a irmã para ir ao campeonato da escola. A irmã voltou para casa e quando retornou à escola não a encontrou mais.


 


Naiara Ribeiro Lucas
Data de nascimento: 20/1/1992
Data de desaparecimento: 8/2/2009
Campo Grande- Mato Grosso do Sul


 




Leandro Annanias de Moura
Data de nascimento: 19/3/1983
Data de desaparecimento: 8/9/2000
São Miguel Paulista - São Paulo





Por enquanto é isto, pessoal. No decorrer da semana, publicaremos mais fotos. Acessem:  www.maesdase.org.br e confiram as fotos de mais desaparecidos.
No domingo, 13h30, tem reprise do programa, e na terça, 19h, também. Não percam!
Um grande beijo e até mais!

quinta-feira, 15 de abril de 2010

Desaparecidos

Oi gente!
O Papo de Mãe desta semana é um papo muito sério: DESAPARECIDOS!
Conforme prometemos, durante a semana, divulgaremos fotos e vídeos de  crianças e jovens que desapareceram. Acompanhem o blog e fiquem atentos: vamos tentar ajudar essas mães que estão sofrendo tanto!




Não percam a reprise do programa neste domingo, 13h30, e na terça, 19h.
Um grande beijo a até mais!

terça-feira, 13 de abril de 2010

Tema da semana: Crianças Desaparecidas

Olá, pessoal!
O programa Papo de Mãe desta semana é sobre crianças desaparecidas e  mostrará o drama de mães que há anos esperam informações sobre o paradeiro de seus filhos.
Segundo a Associação Brasileira de Busca e Defesa das Crianças Desaparecidas (ABCD), popularmente conhecida como "Mães da Sé", cerca de 40 mil crianças e adolescentes somem por ano no Brasil e, desse total, 10% a 15% jamais retornam para seus lares.
No estúdio, um papo sério sobre o assunto e  também sobre os serviços de apoio oferecidos pelo Poder Público e por organizações para casos de desaparecimento.
Na reportagem especial de Rosângela Santos, o trabalho da polícia e como a tecnologia tem ajudado na localização de crianças desaparecidas.
Vocês não podem perder: nesta Quinta, 19 horas. Reprises no Domingo, 13h30 e na Terça, 19 horas.

E aqui no blog vamos debater sobre o assunto! Você conhece algum caso de desaparecimento? Gostaria de divulgar? Escreva para contato@papodemae.com.br e fale conosco.
Além de abordar o tema durante a semana, também publicaremos fotos e vídeos de crianças que desapareceram. Fiquem ligados e ajudem a encontrá-los!


IMPORTANTE!!!
Devido a mudanças na programação da TV Brasil, o Papo de Mãe está com um horário provisório neste mês de abril. O programa está indo ao ar na quinta-feira, às 19 horas, com reprises no domingo (13h30) e na terça (19 horas). Mas a partir de MAIO o programa terá NOVO DIA e NOVO HORÁRIO. Cadastrem-se em nosso FEED e/ou tornem-se nossos SEGUIDORES para receber informações. Sigam também o Papo de Mãe no Twitter, no Facebook , no Youtube e no Orkut!
Um grande beijo a todos e até logo mais!!!

segunda-feira, 12 de abril de 2010

Papo animal e Zooterapia

Olá, estamos de volta para falar um pouco mais sobre o assunto da semana: animais de estimação!!!
Além do clima super descontraído no estúdio e da presença de convidados muito especiais, como a do biólogo Diego Sanches e seus animais exóticos, da SOS ambiental (http://www.sosambiental.com/), o que chamou bastante atenção no programa foi outra reportagem de Rosângela Santos: o trabalho fantástico do cão Joe Spencer – um golden retriever que visita hospitais levando alegria a crianças e adultos internados.
O trabalho de Joe tem nome: zooterapia (ou pet terapia). No Brasil, a pioneira neste tipo de trabalho é a médica veterinária e psicóloga Hannelore Fuchs, que em 1987 se doutorou na USP com um estudo sobre os benefícios da interação de animais com pacientes. Dez anos mais tarde, em julho de 1997, a doutora fundou o projeto Pet Smile, um programa assistencial e educativo que efetua visitas periódicas, pré-programadas, com animais de pequeno porte, na maioria cães, a instituições de populações especiais: crianças e adultos em hospitais, crianças portadoras de necessidades especiais em escolas, crianças em creches e idosos.
Os animais que participam do projeto recebem um treinamento especial. São manuseados, socializados, educados e passam por rigorosa avaliação comportamental, onde seu desempenho é reavaliado a cada visita. "Os terapeutas-bichos tem que estar com a saúde impecável, com a vacinação e vermifugação em dia e também com as condições psico-biológicas perfeitas", observa a Dra. Hannelore.
No ambiente hospitalar, a presença do animal é um apelo para o lado positivo do ser humano. Implica no fornecimento de um canal para criatividade, humor, imaginação, descontração, novos comportamentos e até mesmo a possibilidade de cura.
A criança necessita da interação com animais nas diversas etapas do seu desenvolvimento. Do ponto de vista da criança, o animal não agride, não é autoritário, não exige nada em troca, está sempre ali (é um "porto seguro"), é algo para tocar, para conversar. O animal dá amor, conforto físico, acolhe, leva a criança pela magia a um outro mundo. A experiência da criança com animais traz aprendizado, compreensão, interação física, crescimento, momentos lúdicos e avaliação de diferenças e semelhanças, que abrange processos físicos, cognitivos, afetivos e interpessoais.
Para o idoso institucionalizado, respeitado o seu silêncio, o animal proporciona e se comunica pelo contato físico. Faz aflorar reminiscências, abre canais de comunicação e de percepção, induz à movimentação e permite novos relacionamentos e envolvimentos afetivos.
O Projeto Pet Smile, desde a sua fundação, já beneficiou através da Terapia mediada por animais mais de 12 mil pessoas, entre pacientes e familiares. Atualmente, realiza cerca de 6 visitas mensais em 9 instituições em São Paulo. "O bicho é um terapeuta sem palavras, nós somos o meio. Ele ensina respeitar a vida e a dignidade de cada pessoa e de todas as coisas vivas, sem discriminação e preconceito e, por onde passa, deixa um sorriso." comenta Dra. Hannelore Fuchs, idealizadora do projeto PetSmile. (Fonte: www.bayerpet.com.br/responsabilidade/pet_smile.aspx)
Voltando ao estúdio, contamos com a presença de Patrícia Evangelos, adestradora do projeto Cão Cidadão, que esclareceu dúvidas e forneceu algumas orientações sobre como lidar com os animais domésticos.
Baseado no Adestramento Inteligente - método fundamentado em estímulos positivos e recompensas, o que desperta no animal mais interesse em aprender e contribui para que ele assimile os novos conhecimentos mais rapidamente -, o projeto Cão Cidadão tem como objetivo integrar adequadamente os bichos à sociedade a partir de uma relação de amizade e respeito entre animal e ser humano. Além de promover cursos, palestras, workshops, consultas e treinamentos, a Cão Cidadão também apoia projetos sociais que se preocupam com o bem-estar animal (como a posse responsável e a prevenção de acidentes com animais domésticos) e realiza visitas esporádicas a pessoas debilitadas ou com necessidades especiais através do Projeto Cão Terapeuta. Para saber mais, acesse: http://www.caocidadao.com.br/.
---
IMPORTANTE!!!
A TV Brasil está fazendo alterações na sua grade de programação. Em razão disto, nesta segunda não haverá reprise do Papo de Mãe sobre animais de estimação. Mas quem perdeu o programa ainda tem a chance de assisti-lo na TERÇA (13), às 19 horas. Portanto, fiquem atentos! Manteremos vocês informados sobre outras modificações na programação.
Um grande beijo e até mais!!!