Aos domingos, 15h30
Reprise aos sábados, 11 horas
Na TV Brasil

segunda-feira, 9 de novembro de 2009

Entrevista com o psicólogo e antropólogo Mauro Godoy


Olá!!! Dando continuidade ao tema da semana, estamos trazendo para vocês mais uma entrevista. Desta vez, quem conversou com a nossa repórter, Rosângela Santos, foi o psicólogo e antropólogo Mauro Godoy. Confiram!
RS: Como entender o filho único?
MG: A melhor forma de entender o filho único é se sentir como tal. Ver o mundo como ele desde pequeno. Em casa, muitas vezes, como ele é a única criança, ele é visto por todos como o bebê, o pequeno, a criancinha... Ele pode assumir esta postura de infantilidade para sempre, o que pode significar para o menino o “complexo de Peter Pan” e para a menina o “complexo de Cinderela”. Que quer dizer “eu não quero ser homem, nem mulher, quero continuar criança”. E assim fica por muito tempo, pois ele não sabe se comportar de outra forma.
RS: E o que acontece?
MG: Até os dois anos, a criança não sabe distinguir o que é pessoa e o que é objeto. Quando ela percebe que é diferente, entra no mundo das pessoas. Só que uma grande parte de filhos únicos não entra neste mundo. Então, crescem achando que gente e objeto são a mesma coisa.
RS: Existe diferença na criação no Brasil e no mundo?
MG: A realidade do Brasil é diferente de outros países. Na China, por exemplo, quem cria o filho são os avós porque eles já trabalharam, já se aposentaram, enquanto os pais têm que trabalhar. Então, é instituído que os avós criam. Os filhos acabam tratando os pais como irmãos e avós como pais. E os avós não são libertadores (aqueles que deixam fazer o que os pais não deixam). Como conseqüência, as crianças crescem sem liberdade. Mas o filho único tem que aprender a diferença entre a família onde ele é “rei” e o mundo na rua, onde ele é apenas mais um.
RS: Como os pais devem agir?
MG: Percebendo... Na pré-adolescência - isso acontece hoje aos 10, 11 anos - a criança já começa a se rebelar e a denegrir a própria postura e própria imagem. Esta é a maneira dela dizer para os familiares que ela é normal, apenas mais um... Ela pode agir de forma a piorar a aparência, o vocabulário... É uma forma de mostrar aos pais que ele/ela não é tudo aquilo que eles esperam.
RS: Mas por que isto acontece? É comum os pais esperarem muito de um filho único?
MG: Naturalmente. Vendo sob a ótica dos pais, você tem toda uma esperança. Além de ser seu herdeiro, você tem esperança de alguém que vai continuar sua genética, seu nome. Isto cria uma expectativa. E todo o amor, dedicação e tempo que você dedicou para essa criança vai se transformando numa idealização que não corresponde à realidade.
---
Por enquanto é isto, amanhã tem mais!
E por falar em amanhã, não percam a última reprise do Papo de Mãe sobre Filhos Únicos nesta terça-feira, às 18h30, na TV Brasil. 

11 comentários:

Letícia Godoy disse...

Parente no PAPO???? hehhehehe brincadeirinha.
Meninas hj eu assistooooo de qualquer jeito rsss, já estou com o sinal novamente. Vi só o final no domingo e ontem sai, mas hj eu assisto e depois venho aqui.
beijinhosss

Roberta disse...

Clarissa, obrigada por nos linkar por aqui!
Parece que fizemos as mamães lá do blog pensar a respeito do assunto!

E que venham os irmãos! :)

Bjs.

Clarissa Meyer disse...

Leticia, acho bom mesmo vc assistir o pgm hoje (não conte para ninguém, mas eu fui lá dar meu pitaco sobre filho único,rsrs)
---
Roberta, muito legais os comentários. Espero que suas amigas tb virem fãs do programa!

Beijos a todas!
Clarissa

WSJ disse...

Pessoal .....
Muito bom o programa filho único
Informações excelentes

A cada dia fico mais contente com o programa

abraços
Junior

Letícia Godoy disse...

Estou abrindo uma campanha, ou melhor duas: CLARISSA DA UM IRMÃOZINHO PRO CAIO, ROBERTA DA UM IRMÃOZINHO PRA JULIANA KKKKKKKKKKKKK (é Juliana, né???)
Tadinhos, todo muito merece pelo menos 1 irmão rssss. Eu tenho 3 e sou completamente apaixonada pelos meus irmãos. Eu não dei um irmão para o meu filho antes pq faltava a matéria prima rssss. Hj tenho a matéria prima, mas optei pela adoção pq era um desejo antigo e tb não queria adotar sozinha, já criei o primeiro sozinha e pai é muito importante.
Meninas o programa foi ótimo como sempre, adoreiiii, muito legal ter a opinião de uma filha única. Eu acho que a gente meio que sufoca nossos filhos únicos, temos medo de perde-los e só temos ele. Acabamos fazendo deles a razão de nossa existência, das nossas expectativas e isso é uma carga muito pesada. E isso de ficar falando do financeiro, de que podem dar tudo para 1 só, não sei até onde isso é legal, afinal, nem sempre teremos tudo qdo formos adultos. Ter amor é a melhor coisa e amor não tem dinheiro que compre ou pague. A moça filha única do programa, agora não lembro quem perguntou, "mas vc não ganhava presentes de todo mundo no natal?" E ela, "sim mas não tinha felicidade". É, o presente que ela queria nunca lhe deram.
Pensem nisso CLARISSA... ROBERTA... olha a campanha

beijinhosssssss

Clarissa Meyer disse...

Ah, campanha, é??? Tudo bem... Quem sabe se a Roberta engravidar eu me animo??? A Mari pode encomendar mais um tb!!! rsrsrs

Letícia Godoy disse...

Nem falei na Mari pq ela já tem uma galerinha kkkkkkkkk se bem que mais um seria perfeito rssssss

Clarissa quem sabe vc primeiro para ver se a Roberta anima kkkkkkk

Eu continuo na campanha "dê um irmãozinho para seu filho", ele merece rsssss

Beijinhosss

Clarissa Meyer disse...

JUNIOR, que bom que você está gostando do programa! Continue prestigiando o Papo de Mãe e vindo aqui postar seus comentários. Eles são muito importantes para nós!
---
LETÍCIA, nada de Clarissa primeiro... o meu ainda me deixa de cabelo em pé. Quem sabe daqui uns 2 anos... rsrs

Beijos a todos!!

Roberta disse...

Clarissa e Letícia,

Adorei a campanha. Já estou dentro. Eu quero muito...estou tentando. Ainda não deu. Qualquer novidade eu aviso vocês.

Letícia,

Você também. Qualquer novidade não esqueça de nos avisar.

Clarissa,

Trata de aderir a campanha. O Caio vai adorar.

beijos.

Mariana Kotscho disse...

Meninas, sabem o que vai acontecer quando vcs tiverem mais filhos??? Vocês terão menos tempo para responder a estas mensagens! rsrsrsrs
Desculpe a demora em entrar no Papo!

bjs
Mari

Letícia Godoy disse...

Êeeeeeeeeeeee olha aí Clarissa, a Roberta já aderiu a campanha kkkkkkkk, já está nas tentativas. Corre meninaaaaaaaaa heheheheh

Claro que eu venho contar, imagina q vou deixar vcs sem notícias.

Mari, ter menos tempo para responder as mensagens, não tem problema, eu e as amigas do PAPO somos pacientes rsssssssss

O que importa é que a campanha "DÊ UM IRMÃOZINHO PARA SEU FILHO" continua.

Roberta to na torcidaaaaa

beijinhos meninas