Aos domingos, 15h30
Reprise aos sábados, 11 horas
Na TV Brasil

quarta-feira, 3 de outubro de 2012

Deixar o filho crescer: autonomia


Crianças com autonomia
Por Michelle Maneira* – Portal Vila Mulher

Vocês já devem ter ouvido falar sobre criar os filhos para o mundo, e não para si mesmo, não é mesmo? Pois bem, para que isso seja possível, é necessário que elas sejam autônomas, ou seja, consigam executar tarefas sozinhas de acordo com a faixa etária. E como todo aprendizado, isso leva tempo diferente para cada criança, mas existe uma idade onde certos comportamentos não são mais admitidos.

Aos dois anos de idade, seu bebê deixa de ser um bebê, para se tornar uma criança, e para tal deve executar algumas tarefas que parecem simples, mas que fazem sujeira e dão muito trabalho para ensiná-los, como comer segurando a colher sozinha (mesmo que isso faça muita sujeira); largar a fralda e pedir para usar o banheiro, deixando escapar o mínimo possível, entre outras. Eles devem ajudar a recolher os brinquedos que espalham e tentar vestir peças de roupas simples sozinhos, principalmente chinelos e sapatos, que nessa idade tiram e põem com tanta freqüência.

As crianças que tem oportunidade de freqüentar uma boa escola de educação infantil contam com o apoio da escola para gerar muitas outras autonomias com seus pertences pessoais e no relacionamento com crianças e adultos, mas independente da escola, cabe aos pais estimular e iniciar atitudes como tirar a sua roupa e colocá-lo no cesto de roupa suja ou no quarto, trocar-se com o mínimo de ajuda possível, ir ao banheiro sozinho e limpar-se, lavar as mãos e escovar os dentes com o capricho necessário, tomar banho e enxugar-se, tirar seu prato da mesa, cumprimentar e despedir-se das pessoas, agradecer e solicitar serviços com educação para qualquer pessoa, sem precisar dos lembretes das "palavras mágicas", esses são comportamentos que devem estar incorporados no dia-a-dia das crianças até os 6 anos de idade.

É nessa fase que a criança deve fazer a lição de casa sempre que possível, sozinha, o adulto apenas confere se a mesma foi concluída. Podemos também incentivar a criança a ajudar em tarefas domésticas como arrumar a cama, varrer a casa, colocar comida para o cachorro, lavar peças de plástico da louça e quaisquer outras atividades domésticas junto com os adultos, para que em dois ou três anos, a partir dos 8 anos aproximadamente, ela execute-as sozinha. É também hora dela servir seu próprio prato e cortar seus alimentos com faca sozinha.

Aos dez anos, o que acontece muito rapidamente mesmo sem ensiná-las, é a cobrança da autonomia, inclusive para ficarem sozinhas. Elas já não querem tanta interferência dos pais no jeito que guardam suas coisas e executam suas tarefas, mas se essa autonomia foi paulatina, essa fase não será traumática para os pais, que muitas vezes só enxergam que os filhos cresceram nessa idade, onde os pequenos iniciam também uma fase de rebeldia.


Por essa razão que é importante a criança ter tarefas em casa, mesmo que sejam pessoais, antes dessa idade, pois a criança que já possuía obrigações desde cedo, normalmente não se nega a aumentá-las com a idade. Mas os filhos que sempre tiveram quem fizesse tudo por eles raramente se acostumarão a ter que fazer alguma coisa por si mesmo, quanto mais pelos outros.

*Michelle Maneira é pedagoga, com pós-graduação em psicopedagogia e especialização em tecnologias educacionais, professora de educação infantil da rede pública.



2 comentários:

A equipe da Babycub disse...

Nossa, amei esse post! Penso exatamente dessa forma!

Di disse...

Muito interessante! Preciso me policiar sobre essas coisas. Apesar da minha filha já fazer muitas coisas sozinha aos 3 anos, como comer sozinha e colocar sapatos simples, ser educada na maior parte das vezes e ter largado as fraldas diurnas, eu tenho muita dificuldade em orientá-la para guardar suas roupas e brinquedos após o uso, prefiro fazer eu mesma. Vai ser um aprendizado pra nós duas, acho eu.
Bjs
Di
www.maebipolar.com.br
http://cupdicake.blogspot.com