Aos domingos, 15h30
Reprise aos sábados, 11 horas
Na TV Brasil

terça-feira, 27 de março de 2012

Relação entre mães e babás: os sinais de uma babá ruim

Olá a todos!!!
Nosso tema nesta semana é a “relação entre mães e babás”.
Quem assistiu ao programa no último domingo, pode conferir a história de mães que deram sorte com suas babás. Pode não ter sido na primeira tentativa, afinal, como em toda profissão, existem profissionais boas e outras nem tão boas assim.

Infelizmente, a probabilidade de acertar de primeira na escolha de uma babá não é muito grande, mas isto nem sempre é culpa da babá, e é preciso que os patrões entendam isto.

Quando se contrata uma pessoa para se colocar dentro de casa, há uma série de fatores que devem ser considerados. Em primeiro lugar, as referências desta profissional precisam ser checadas, existe uma fase de adaptação em relação à casa, às crianças e à rotina da família, e tudo isto deve ser levado em conta. O respeito mútuo na relação entre patrões e babá, e o vínculo que esta estabelece com as crianças são a chave de uma relação promissora.

Não podemos dizer que existe uma babá ideal, pois este “ideal” é um conceito muito relativo.  O que funciona numa família pode não funcionar na outra. Além disso, assim como não existem babás perfeitas, também não existem patrões perfeitos. O que existe são relações que podem dar certo e relações que podem não dar.

Mas é lógico que quando a gente contrata uma babá, nosso maior medo é que ela pareça ser uma pessoa perto da gente e se transforme em outra quando sozinha com as crianças. Isto acontece, basta prestar atenção aos noticiários da TV, mas não pode virar uma paranóia.

Para enriquecer um pouco mais toda esta discussão, separamos este artigo da Revista Crescer. Comecem lendo aqui no blog e depois cliquem no local indicado para continuar. Obrigada! Bjs, Clarissa.
***

Os sinais de uma babá ruim
Nem sempre os pais acertam na escolha da profissional. Saiba os indícios de que as coisas não vão bem
Por Heloiza Camargo – Revista Crescer
Encontrar uma babá que se encaixe no perfil da sua família pode não ser fácil. E, depois de contratada, quando se pensa que a parte mais penosa já passou, alguns pais ainda enfrentam problemas ao perceberem que a babá escolhida por eles não foi a opção mais correta. Isso porque nem sempre a profissional corresponde àquilo que se esperava dela.

É importante ressaltar que nenhuma babá é perfeita, claro, pelo mesmo motivo que você também não é. Para começar, prestar atenção na criança é fundamental para saber se as coisas estão correndo bem: só quem conhece o seu filho será capaz de perceber alterações sensíveis de humor, por exemplo. Mesmo com tantos casos lamentáveis expostos na mídia, o problema mais comum envolvendo babás não é de agressão física, aquela que deixa marcas visíveis, mas sim de comportamento, de uma profissional negligente ou que não coloque em prática aquilo que os pais pediram.

E como perceber tudo isso? Elaboramos uma lista para ajudar a sua família.

- Crianças que apresentam um comportamento muito diferente daquele que tinham antes da chegada da profissional indicam que algo não está bem. Se o bebê, por exemplo, não parece feliz ao ver a babá ou tornou-se introspectivo e ansioso repentinamente. Uma profissional jamais substituirá o pai ou a mãe, mas é importante que ela seja afetuosa com a criança, que a trate com carinho. Caso isso não aconteça, é melhor contratar alguém que realmente goste do seu filho;

- Nada de segredo na relação de vocês: a babá não pode fazer mistérios sobre como foi o dia da criança. Da mesma forma, é preciso deixar bem claro, até com um manual, se for preciso, as regras que você quer que ela siga: horários para chegar, horários relacionados à alimentação, tipos de programas de TV que a criança e ela podem assistir, entre outros.

- Se a criança se machuca constantemente, principalmente em acidentes fáceis de evitar, pode ser um indício de negligencia da babá. A profissional precisa estar atenta ao seu filho e observá-lo mesmo enquanto ele dorme ou brinca;

- Seus pedidos não estão sendo atendidos? Uma babá jamais pode achar que sabe mais de uma criança do que os pais. Ela pode, claro, contribuir com ideias, sugestões, afinal passa bastante tempo com a criança, mas não deve ignorar as regras impostas por vocês. Além disso, contratar alguém com os hábitos muito diferentes dos da família requer uma período de adaptação maior. Descubra se você está disposto a ensinar a babá ou se prefere uma pessoa mais parecida com o perfil da família;

- A babá chega na sua casa frequentemente atrasada e sem motivo. Isso pode significar que ela não é totalmente de confiança, afinal deixa você na mão. É necessário que ela entenda a importância que tem para a rotina da casa e seja muito profissional, cumprindo sempre o combinado;

- Os pais têm de confiar na babá. Por isso, atos como mentira ou roubo não devem ser tolerados.

Mais dicas para uma convivência feliz (clique aqui para continuar lendo a matéria).

***
#FICADICA
CORDVIDA REALIZA CURSO DE CUIDADOS COM O BEBÊ

Gestantes podem esclarecer dúvidas em curso gratuito no Shopping Eldorado
No próximo dia 14 de abril, as futuras mamães e papais vão poder participar de um curso gratuito com orientações sobre cuidados com o bebê, desde o nascimento até os primeiros meses em casa.
Organizado pela CordVida, banco de armazenamento de células tronco de cordão umbilical, o curso apresentará didaticamente temas associados ao parto, à amamentação, ao banho, ao choro e sono do bebê, além de questões relacionadas à coleta de sangue do cordão umbilical, esclarecendo dúvidas, muitas vezes, não abordadas no consultório médico.
Para participar do evento, os interessados devem confirmar presença até 12/04/12 pelo email marketing@cordvida.com.br ou pelo telefone 0800 707 2673. Os inscritos poderão participar de sorteios de brindes e benefícios. As vagas são limitadas.

Serviço:
Data: 14 de abril de 2012 – sábado de 8h45 às 12h
Local: Cinemark – Shopping Eldorado - Av. Rebouças, 3970 – Pinheiros – SP


2 comentários:

Loja Primeira Idade gestante e bebê disse...

Eu tive muita sorte..tive uma babá maravilhosaaaaa....serei sempre grata à ela...

vanessa costa disse...

ola meninas amei este post, achei muito interessante e bem explicativo,sou babá a um bom tempo, eu tento parar mais não consigo sou alucinada por crianças, trabalhei para diversas famílias em sp comecei como fixa e hoje SÓ FAÇO FOLGA, no começo todas aceitam depois querem que eu fico fixa isso comigo abala um pouco a relação de trabalho porque não gosto de verdade de insistência, nunca liguei que me chamassem a atenção por motivo nenhum, pois é uma forma para mim mesma melhorar só não admito que faça isso em público ou grite comigo não aceito de forma alguma, mas alguma coisas me chamaram a atenção no post de vcs, uma foi sobre a mudança de comportamento da criança,algumas crianças que cuidei não gostaram de mim logo de cara tive que se adaptar a ela e isso demorou 3 meses o comportamento delas era muito agressivos comigo, a crianças como nós adultos gostam e não gostam de determinadas pessoas e tem também as que se comporta diferente quando estão com os pais e quando estão com a gente, não estou livrando a cara das babás más não, pois eu sempre digo eu sou babá mas não deixaria um filho meu (se eu tivesse)com babá nenhuma,pois eu sei de mim não das outras, outra coisa que me chamou a atenção e com atrasos, acho que no máximo 30 minutos seria tolerável,pois em são paulo fica difícil, mesmo que vc saía de casa as 4 da manhã por depender de transporte público,tem o trânsito a multidão de pessoas,é bem complicado e isso ninguém leva em conta, mas se eu ultrapassar 30 minutos ou 1 hora do horário de saída ai ninguém se lembra para não pagar hora extra, mas uma coisa que eu acho intolerável e nos tratar como bichos, eu não aceito apesar de minhas patroas serem pessoas ótimas graças a Deus, mas passei por duas terríveis, uma nos dava resto de comida das crianças para comer e a outra me mantinha em prisão domiciliar até o celular era confiscado e só tinha de volta quando saía de folga que era a cada 15 dias, não podia sair do apartamento nem na portaria sem que ela liberasse no dia de folga, mas as outras eram e são maravilhosas. desculpe qualquer coisa mas é uma troca de informação digamos assim.