Aos domingos, 15h30
Reprise aos sábados, 11 horas
Na TV Brasil

segunda-feira, 18 de outubro de 2010

Papo de Mãe sobre Audição!

Olá a todos!
Audição foi o tema do Papo de Mãe deste último domingo (17/10), e é sobre este assunto que falaremos no decorrer desta semana aqui no blog.
Segundo o IBGE, quase seis milhões de brasileiros tem algum problema auditivo. A perda auditiva pode ter diversas causas tais como doenças infecciosas, má formação congênita, traumatismos, exposição prolongada a ruídos muito altos, entre outras.
Nas crianças, uma das causas mais frequentes da surdez é a rubéola contraída pela mãe durante a gravidez. Contudo, é importante salientar que esta doença pode ser evitada, uma vez já que existe vacina contra ela.
Durante o programa, conversamos com mães e especialistas sobre como é a vida de uma criança que não ouve e sobre a importância da prevenção. Conversamos ainda sobre os diversos níveis de perda auditiva e sobre os tratamentos existentes, que podem incluir desde medicamentos até cirurgias e uso de aparelhos/implantes auditivos.
Entre os especialistas convidados, o Dr. Robinson Koji Tsuji, otorrinolaringologista do Hospital das Clínicas de São Paulo, e Valéria Goffi Gomez, fonoaudióloga do HC-SP, que ajudaram a esclarecer dúvidas e orientar mães convidadas e telespectadores.
A deficiência auditiva pode ter diferentes graus, que vão desde a deficiência leve até a profunda, podendo chegar à total – conhecida como narcosia. A criança com perda leve  escuta vozes e vários sons do ambiente, o que torna o problema difícil de ser percebido pela mãe. Já a perda profunda é mais fácil de ser observada, pois o bebê não reage diante de ruídos como o bater de uma porta ou o latido de um cachorro.
Seja qual for o caso, a importância do diagnóstico precoce é indiscutível, pois quanto mais cedo identificado o problema, maiores as chances de sucesso no tratamento. Daí a importância do chamado “teste da orelhinha” feito ainda na maternidade. A propósito, é importante lembrar que já existe uma lei federal que torna obrigatório este teste em recém nascidos em toda a rede pública de saúde no Brasil.
Se o teste da orelhinha acusar deficiência auditiva, o primeiro passo é consultar um médico otorrino para complementar a avaliação. Assim, a criança inicia logo o tratamento, evitando problemas com a linguagem, o que é muito comum. Entre os tratamentos incluem-se estímulos sonoros, terapias de reabilitação, próteses que amplificam o som e até cirurgia, como o implante coclear - um aparelho colocado dentro do ouvido, que leva o som ao nervo auditivo.
Outro problema comum na infância é a otite crônica - infecção no ouvido desenvolvida pelo acúmulo de líquido no sistema auditivo. Este problema pode ter como causa diversos fatores, um dos quais o hábito de ingerir líquidos deitado, o que deve ser evitado. Em determinados casos, para o tratamento da otite crônica, faz-se necessário a colocação de tubos de ventilação nos ouvidos, cuja função é ajudar o organismo a drenar a secreção que se forma.
Traumas e exposição constante à poluição sonora também podem prejudicar o sistema auditivo dos pequenos. Por isto, cuidar para que as crianças não fiquem expostas a sons muito altos - seja por pouco ou muito tempo - é importante para garantir que elas tenham uma boa audição. Outro cuidado importante é na hora da limpeza do ouvido. O uso de hastes flexíveis (cotonetes) não é recomendado porque podem causar perfuração no tímpano, além de empurrar ainda mais a cera para dentro do ouvido.
Ainda no programa, tivemos o prazer de receber Sandra Campos, representante da Escola para Crianças Surdas Rio Branco, da Fundação de Rotarianos de São Paulo, que oferece atendimento gratuito a crianças e jovens surdos, provenientes de famílias de baixa renda. Para conhecer melhor o trabalho da escola é só acessar o site http://www.ecs.org.br/.
E a ONG Vez da Voz, que luta pela inclusão da pessoa com deficiência, criou um telejornal para quem tem problemas de audição. O Telelibras é transmitido na internet em português e na língua brasileira de sinais (libras). Para conferir acesse: http://www.vezdavoz.com.br/.
Por fim, tivemos a bela reportagem de Rosângela Santos mostrando que os deficientes auditivos também dançam e o papo descontraído de Pedrinho Tonelada pelas ruas.
Este foi o nosso Papo de Mãe! Mas o programa não terminou por aí porque, ao final, ainda continuamos o papo por meio do nosso chat, com a presença do Dr. Koji, da mamãe Sheila Carvalho (uma de nossas convidadas no programa), das apresentadoras Mariana e Roberta, além de vários telespectadores que puderam perguntar e esclarecer suas questões sobre audição ao vivo com a gente. E tem mais: durante a semana o papo continua com as postagens aqui no blog. Papo de Mãe é assim, não acaba nunca!!!
Acompanhe nossas postagens assinando nosso feed para receber as atualizações do blog. Siga o programa também pelo twitter e pelo facebook. E para entrar em contato com a gente escreva para contato@papodemae.com.br. Mande perguntas, relatos e sugestões. A participação de todos é muito importante para nós.
Para terminar, um pedido muito especial: estamos na final para o prêmio topblog. Vote clicando aqui ou no selo do concurso no alto da página. Só não esqueça de validar o seu voto por meio da mensagem que você receber. Muito obrigada por todo carinho e pela audiência. Até mais!!!

2 comentários:

BARBARA disse...

Ro e Mari,

O blog tá demais viu? Vcs estão de parabéns já vou recomendar para as mamães que conheço........e votei já várias vezes.

Mil beijos


BÁRBARA

Daniele disse...

Que pena! Não consegui assistir o programa, tenho uma filha implantada. Gostaria muito de ter participado, com um e-mail, mensagem. Beijo pra vcs.