Aos domingos, 15h30
Reprise aos sábados, 11 horas
Na TV Brasil

quinta-feira, 26 de agosto de 2010

PLANTÃO PAPO DE MÃE - por Roberta Manreza

Olá,  esta semana estamos falando sobre "brinquedo, brincar, brincadeira" e a importância desta atividade na vida da criança. Entretanto, sabemos que não podemos confundir o ato de brincar com o excesso de brinquedos. Por isto, muito apropriado para o momento este artigo de autoria de Roberta Manreza que fala sobre o consumismo infantil. Confira!
Consumismo infantil:
 o comprar pelo simples comprar
Por Roberta Manreza

Comprar, um verbo que as crianças conjugam cada vez mais cedo. Mas o que fazer para que os pequenos de hoje sejam consumidores conscientes amanhã?
Juliana, a minha filha de sete anos, quis comprar um ursinho de pelúcia logo depois de uma sessão de cinema no shopping. Para mim o pedido soou totalmente descabido. A Juliana não brinca mais com bichos de pelúcia, fizemos uma “limpeza” recentemente em casa e doamos tudo o que servia apenas para lotar as prateleiras dos armários. Além disso, o tal ursinho era bem caro. “ Mas mamãe, eu não achei mais nada que eu gostasse para levar”, justificou Juliana, inocentemente.
Como não ser consumista em uma sociedade de consumo? Ninguém nasce consumista. A verdade é que está cada vez mais difícil resistir a tantos apelos - e nem as crianças escapam. Todos são impactados pela publicidade e estimulados a consumir de forma inconsequente. O consumismo infantil atinge todas as faixas etárias e classes sociais. Que mãe não se rende aos pedidos do filho?
Infelizmente, muitas famílias gastam o que não podem para satisfazer os desejos materiais dos pequenos. A babá Solange Fernandes Brasil, que participou do “Programa Papo de Mãe” sobre este tema, e é mãe de cinco filhos, se endividou para comprar um videogame para Ewanderson, de 12 anos. O garoto mal usou o brinquedo. Quando ela ainda pagava as prestações do jogo eletrônico, o adolescente já sonhava com um modelo mais novo...
O “Projeto Criança e Consumo”, do Instituto Alana, foi criado em 2005 para divulgar e debater as consequências do consumismo: a erotização precoce, a obesidade infantil, o uso de tabaco e o abuso do álcool na juventude, o estresse familiar e a banalização da violência. Em entrevista para o “Programa Papo de Mãe”, a coordenadora do projeto e advogada Isabella Henriques, disse que o grande problema é a publicidade que é voltada para o público infantil: a publicidade que “fala” diretamente com as crianças, feita, muitas vezes, em desenho animado.
A psicóloga do Instituto Alana, Maria Helena Marquetti, que também participou do programa, concluiu: “a publicidade nunca diz ‘não’ para a criança”. Ela é sempre bacana e isto cria uma situação desigual: enquanto a publicidade está sempre dizendo ‘sim’, ela obriga os pais a sempre falarem ‘não’. Para a psicóloga, “os pais também são vítimas disso tudo”.
A quantidade de produtos oferecidos para estes consumidores, que são tratados como gente grande pela indústria, é realmente uma tentação para pais e filhos. Para a fotógrafa Drica Lobo, mãe de duas crianças, “a gente se torna muito consumista quando não está feliz”. Entretanto, ela conta que já viu muita criança com a possibilidade de ter tudo, mas que estava infeliz.
O que acontece é que muitos pais tentam compensar a falta de tempo enchendo os filhos de presentes. Para compensar a ausência ou não, os exageros são constantes. Os pais não conseguem se controlar. Eles até tentam negociar com os pequenos, mas não resistem ao jogo de sedução dos filhos e acabam cedendo aos “pedidos melosos” e até às birras. Quem nunca viu uma criança se jogando no chão no meio de uma loja de brinquedos? E os presentes reservados apenas para datas especiais vão se amontoando ao longo do ano...
A cineasta Estela Renner dirigiu o documentário “Criança, a Alma do Negócio” sobre o consumismo infantil. De acordo com o Painel Nacional de Televisores do IBOPE 2007, a criança brasileira passa, em média, quase 5 horas por dia em frente à televisão. A publicidade na TV é a principal ferramenta do mercado para atingir o público infantil. Na opinião da cineasta, para algumas crianças, a necessidade de consumo é tão grande que o comprar virou mais importante do que o brincar. “As crianças estão perdendo a infância, estão virando adultos mais cedo e deixando para trás a fase mais importante da vida”, afirma.
Brincar é possível com e sem brinquedos. O importante mesmo é usar a imaginação. Não podemos confundir a qualidade do brincar com a quantidade de brinquedos. Hoje, as propagandas estão em toda parte e estimulam o consumismo, mas os pais devem ficar atentos e incentivar o brincar, pelo simples brincar.
A minha filha Juliana foi passar uns dias no sítio de uma amiga. Com bastante espaço, tempo de sobra e nenhum brinquedo na mala, pode brincar à vontade. Ela subiu nas árvores, lutou com pedaços de gravetos e ficou horas enchendo os bolsos de pedra para jogar no rio... Contudo, preciso confessar uma coisa: minha filha foi viajar com o ursinho de pelúcia... Isso mesmo, o tal que era caro, que eu sabia que ela acabaria deixando de lado e que jurei não comprar, mas acabei comprando. A Juliana dormiu todos os dias agarrada ao bichinho... Vai entender as crianças, e os pais delas!!!!
---
DICA DE HOJE: 
 Programação CineMaterna
São Paulo, 28/08, Sábado, O aprendiz de feiticeiro (legendado) - CineMaterna no Frei Caneca Unibanco Arteplex
Curitiba, 28/08, Sábado, Meu malvado favorito (2D, dublado) - CineMaterna no Unibanco Arteplex Shopping Crystal
Porto Alegre, 28/08, Sábado, O Bem Amado - CineMaterna no Unibanco Arteplex Bourbon Country
São Paulo, 31/08, Terça, Par Perfeito - CineMaterna no Frei Caneca Unibanco Arteplex
Campinas, 31/08, Terça, Meu malvado favorito (2D, dublado) - CineMaterna na Cinemark Iguatemi Campinas
Brasília, 31/08, Terça, O aprendiz de feiticeiro (dublado) - CineMaterna na Cinemark do Píer 21
Curitiba, 02/09, Quinta, Quando me apaixono - CineMaterna no Unibanco Arteplex Shopping Crystal
Porto Alegre, 02/09, Quinta, Quando me apaixono - CineMaterna no Unibanco Arteplex Bourbon Country
Rio de Janeiro, 02/09, Quinta, Quando me apaixono - CineMaterna no Unibanco Arteplex Botafogo
Para maiores informações, consulte o site: http://www.cinematerna.org.br/

ATENÇÃO!
Se você gosta e assiste o Papo de Mãe ajude-nos a divulgá-lo. Escreva enviando sugestões de temas, perguntas, relatos e comentários. O nosso endereço é contato@papodemae.com.br. A sua participação é muito importante para nós!

4 comentários:

conflitos da vida disse...

Olá acabei de conhecer esse Blog e já estou adorando, tenho 2 lindas filhas, e realmente o consumismo esta sendo cada vez maior pelas crianças, falo pelas minhas.
Parabéns!

Poesia do Bem disse...

O consumismo infantil é memso um problema a Tv influencia demais, roupas, brinquedos e até comida.A Alice já pede o que ver pela frente, mas sempre explico se dá pra comprar ou não e evito tbm, mas se posso tbm dou, pois como mãe coruja né? sabe como é educando e mimando srrsrssr, adorei que voltaram os comentários, bjs e amoooo vcs!

Anônimo disse...

Olá, sou fã do programa e vocês e coord. pedagógica de uma escola de Ed. Infantil e Ensino Fundamental I, gosto muito dos assuntos abordados e queria dar uma sugestão de assunto.
Tema: Como os pais veem o trabalho com o computador na sala de aula?
E as novas tecnologias na escola como o celular?
Parabéns pelo programa!
rededoconher.blosport.com

Anônimo disse...

Olá, gosto muito do programa, mas não dá pra mim assistir aos domingos, pois tenho compromissos na igreja na qual eu freqüento, gostaria se possível que voltasse a reprisar durante a semana.
Obrigada!