Aos domingos, 15h30
Reprise aos sábados, 11 horas
Na TV Brasil

sexta-feira, 26 de fevereiro de 2010

Amamentação

Olá!!!
Nesta semana o Papo de Mãe estreou sua nova temporada com o tema AMAMENTAÇÃO. Quem acompanhou o programa desta quinta-feira conferiu inúmeras dicas sobre este assunto tão importante.
A Organização Mundial de Saúde considera bom o país que tenha ao menos 80% das crianças com menos de seis meses em amamentação exclusiva e recomenda que até esta idade o bebê seja alimentado exclusivamente com o leite materno.
Infelizmente, o Brasil tem atualmente 41% dos bebês nessas condições, pois nem sempre as mães podem ou conseguem amamentar o período recomendado. A volta ao trabalho, a falta de informação e outros diversos fatores ainda atrapalham a amamentação.
O que muita gente não sabe é que as mulheres que trabalham fora têm o direito de amamentar mesmo que estejam em horário de serviço. A lei garante à mulher, após o período de licença maternidade, dois descansos remunerados de meia hora por dia para amamentar o bebê até ele completar seis meses de idade.
E por falar em licença, já está em vigor a lei que garante às servidoras públicas a licença maternidade com duração de 180 dias. Algumas empresas privadas já estão aderindo ao novo modelo e, ao que tudo indica, estamos caminhando para que esta se torne a regra geral. Afinal, de que adianta recomendar a amamentação exclusiva por no mínimo 6 meses e não dar à mulher o direito de estar ao lado do seu bebê neste período?
Nas próximas postagens daremos algumas dicas sobre amamentação,  falaremos a respeito dos bancos de leite e da doação de leite materno. Fiquem agora com o relato da nossa telespectadora Érika Marluce Machado, mãe da pequena Isabel. Ela nos conta que passou por algumas dificuldades no início, mas conseguiu superá-las e amamentou a filha até 1 ano de vida.
---
"Bom dia, Mariana e Roberta!!
Estou gostando muito do programa Papo de Mãe! Creio que estava faltando um programa assim na televisão. O programa é muito bom, vocês estão de parabéns!Quero aproveitar a oportunidade para me apresentar e contar um pouquinho da minha história. Tenho 30 anos e uma princesinha chamada Isabel de 1 ano e 3 meses.
A Isabel teve amamentação exclusiva no seio até os 6 meses. Não dei água, suquinho, chá ou qualquer outra forma de alimentação até ela completar os 6 meses. Após isso, comecei a sua alimentação por meio de suco de frutas, depois papinha de frutas e papinha salgada. Mesmo assim, ela continuou mamando no seio até completar 1 ano.
Mas foi muito difícil no início. Eu ficava dias e dias sentadas na cadeira de amamentação para fazê-la pegar o peito. Por várias vezes, tive que retirar o leite com uma bomba e dar na chuquinha... Mas isso não me fez desistir! Consegui abolir a chuquinha e passei a dar só o seio.
Como eu tinha o bico do seio pequeno, usei durante 4 meses uma concha de silicone entre o meu seio e o sutiã para manter o bico já pronto para ela sugar. Assim, quando era hora dela mamar, o bico já estava saliente.
Não senti dor. Acho que era porque ela era uma bebezinha preguiçosa, pois quando meu seio estava cheio ela sugava desesperadamente já querendo passar para o outro sem fazer o esforço para sugar até o final. Eu ficava com medo, pois a parte "grossa" do leite é justamente o final, aquela que faz o bebê engordar...
Não foi fácil no começo, mas eu adorava amamentar! Era um momento maravilhoso. Não esqueço o jeitinho que ela me olhava nestas horas... Nós duas fomos aprendendo uma com a outra e eu consegui levar a amamentação até ela completar 1 ano.
Porém, desde os 11 meses, meu leite foi secando naturalmente. Fiquei triste, pois queria ter amamentado por mais tempo. Mas sou agradecida a Deus por ter conseguido amamentar durante esse período. Sei que há mulheres que não conseguem, seja por dores no seio ou falta de informação. Mas nós conseguimos e isto é uma vitória minha e dela!
Foi muito bom para mim amamentá-la. Apesar de ouvir de várias pessoas que “só o leite materno não sustenta”, que “deveria dar chá, água, mingau e etc”, “que tinha pouco leite”, eu consegui! E hoje ela é uma menina saudável que se alimenta muito bem. Não come doces nem frituras e gosta muito de fruta: manga, kiwi, pêra e maçã são as preferidas.
Bem, é isto que tenho a compartilhar com vocês! Espero poder ter ajudado compartilhando com outras mães essa minha experiência.
Beijos e fiquem com Deus!"
Érika
---
Querida, Érika!
Muito obrigada pela sua colaboração. Parabéns pela persistência! Sabemos que amamentar é um gesto de amor e foi isto que você demonstrou com todo seu empenho, apesar das dificuldades. Temos certeza que seu relato ajudará muitas mães que estão passando por uma situação semelhante.
Bem, para quem perdeu o PAPO sobre AMAMENTAÇÃO, ainda tem a chance de assistir a reprise do programa no domingo, 13h30; na segunda, 12h30 e na terça, 18h30.
Deixamos agora o espaço aberto a outras mães que queiram compartilhar suas experiências conosco. Cliquem em “comentários” e sintam-se à vontade!
Um grande beijo,
Equipe Papo de Mãe

8 comentários:

Thelma Torrecilha disse...

Pessoal, adorei o programa, ficou bem legal. Não posso falar muito porque sou suspeita.. hahaha
Mas quero registrar aqui que sou uma apaixonada pela amamentação e fiquei muito orgulhosa por ter participado do programa sobre um tema tão legal.
Como espectadora, achei que ficou bem claro que as mães devem ser preparadas desde o pré-natal para poder amamentar com tranquilidade. Existem dificuldades, mas podem ser superadas.
Também foi bacana abordar a questão emocional, o vínculo afetivo entre a mãe e o bebê, a contribuição da amamentação para o desenvolvimento da linguagem da criança, o benefício para a saúde da mulher, tantos aspectos importantes...
Ou seja, o recado foi dado: o leite materno não é só a primeira e potente vacina que a criança recebe para protegê-la de muitas doenças, é muito mais do que isso para mãe e filho.
Ah, já ia esquecendo, foi legal mostrar os pais, mas, ficou claro que eles precisam participar mais. Os homens, em geral, ainda estão pouco envolvidos com essa questão.
Parabéns, Papo de Mãe!

Clarissa disse...

Oi Thelma, obrigada por sua participação! O programa ficou realmente muito bom!
Eu tb adorava amamentar, mas meu leite secou quando meu filho tinha apenas 3 meses. Fiquei muito triste e até hoje não tenho esta questão bem resolvida, pois gostaria de tê-lo amamentado mais. Durante muito tempo fiquei me achando "inferior" por não ter proporcionado o tempo mínimo de aleitamento a ele. Só agora, passados alguns anos, e vendo que está tudo bem, é que esta culpa tem sido amenizada. Acho que é um processo natural... Por outro lado, fico muito feliz em ouvir histórias como a sua e de tantas outras mulheres que obtem sucesso na amamentação. Parabéns! E seu filho é muito lindo!
bjs
Clarissa Meyer
Equipe Papo de Mãe

Thelma Torrecilha disse...

Pois é, Clarissa, quando a gente não consegue amamentar o quanto gostaria, é essa sensação de impotência, de fracasso. Eu também fiquei com isso por muito tempo e, falar a verdade, ainda tenho um sentimento de tristeza com o autoritarismo do médico que me fez parar de amamentar a minha filha com três meses porque ela não estava ganhando o peso que ele queria. A minha primeira filha também só mamou por três meses, eu tinha 20 anos. A segunda, mamou cinco meses, eu tinha 23 anos. O terceiro, mamou sete meses e maio, eu tinha 44 anos. Como disse o médico no programa, o amadurecimento da mãe, o preparo da mãe ajuda muito.
Beijos e obrigada! Ele é lindo mesmo, vou ver todas as reprises... hahaha

Edilaine Araújo disse...

Olá, sou Edilaine de Araújo, moro da Cidade de Contagem/MG e sempre assisto aos programas que por sinal aborda assuntos cada vez mais relevantes, parabéns!

No programa sobre amamentação fiquei indignada com a informação de que todas as funcionárias públicas já gozam de licença maternidade de 180 dias. ESSA INFORMAÇÃO É FALSA, uma vez que sou funcionária pública do estado de Minas Gerais e o Sr. governador em exercício AÉCIO NEVES, não regulamentou a Lei federal vigente desde 01/01/2010. Gozei licença até o dia 07/02/2010, isto é 120 dias, pois o meu parto foi dia 11/10/2009, precisei pedir uma licença saúde de mais 30 dias pois fui tomada de um estado de ansiedade por deixar o meu filho de apenas 3 meses e 20 dias que nasceu com apenas 35 semanas, considerado prematuro.

Acho que a mídia deveria se informar melhor até para disceminar a "atenção" que estamos recebendo como mães em nosso estado. Aqui a maioria das prefeituras já regulamentaram e o estado trata o assunto com morosidade e descaso. Obrigada e desculpe-me pelo desabafo.

Edilaine Araújo

Edilaine Araújo disse...

Por favor não deixem de publicar meu comentário anterior. Agradeço

Papo de mãe disse...

Querida, Edilaine!
Obrigada pela sua participação.
Na verdade, o que foi dito no programa é que a lei que estende para 180 dias a licença maternidade para as funcionárias públicas já havia sido sancionada pelo presidente da República. Em nenhum momento foi dito que "todas as funcionárias públicas já gozam de licença maternidade de 180 dias".
Se você puder, assista a reprise nesta terça e reveja este trecho.
Grata,
Clarissa Meyer
Equipe Papo de Mãe

adjane amorim disse...

Gostaria que abordassem o tema "Sala de apoio à amamentação" um ambiente nos quais serviços públicos e privados podem adotar para que a mãe nutriz possa retirar o leite durante o dia e armazená-lo em freezer até o final do expediente. A Portaria que regulamente a Sala de Apoio à amamentação é a Portaria/Anvisa 193 de 23 de fevereiro de 2010 (recém publicada).
Grata.
Adjane

Adjane disse...

Por favor, poderiam utilizar o tema Sala de apoio à amamentação em um dos seus programas. A Sala é um ambiente simples, dotado de poltrona, ponto de água para lavagem das mãos e um freezer. Após o retorno ao trabalho a mãe nutriz pode utilizar a sala de apoio à amamentação da empresa em que trabalha para retirar o leite e armazená-lo em freezer e ao fim do expediente levá-lo para casa ou ainda doar a um banco de leite. Tudo para que a mama não seque e possamos continuar amamentando (mesmo que somente de forma complementar) até os 2 anos de idade do bebê segundo a orientação do Ministério da Saúde.
A Portaria Anvisa n. 193 de 23 de fevereiro de 2010, apresenta a nota técnica conjunta entre a Anvisa e o Ministério da Saúde que regulamente a instalação das salas de apoio à amamentação nas empresas públicas e privadas. Vamos levantar essa bandeira, a fim de que mesmo de volta ao trabalho possamos continuar amamentando até os 2 anos de idade de nossos bebês.
Grata.
Adjane