Aos domingos, 15h30
Reprise aos sábados, 11 horas
Na TV Brasil

sábado, 23 de janeiro de 2010

Pais separados e alienação parental

Olá, pessoal!
Neste domingo, o Papo de Mãe reapresenta o programa sobre Pais Separados, tema cada vez mais frequente na sociedade atual. A propósito, vocês sabiam que no Brasil, de acordo com o IBGE, para cada quatro casamentos, ocorre uma separação? E que em 23 anos a taxa de divórcios cresceu mais de 200%? É verdade. Só em 2007, foram quase 180 mil divórcios. A explicação para isso seria a mudança no comportamento da sociedade, que passou a aceitar o divórcio com maior naturalidade.
No último levantamento feito pelo IBGE, em 89% dos divórcios, a responsabilidade pela guarda dos filhos ficou com a mulher. Em 76%, houve comum acordo. Mas isso vem diminuindo. Nos últimos dez anos, o número de divórcios não consensuais aumentou. Tanto é que existe uma lei que obriga as escolas a fornecer a pais separados uma cópia do boletim escolar dos filhos para cada um dos genitores, além de passar dados sobre o desempenho e a frequência escolar. O objetivo é ajudar muitos pais que não conseguem ter acesso às informações escolares dos filhos – o que acontece muito em casos de alienação parental, por exemplo.
Para quem não sabe, a Síndrome de Alienação Parental (SAP), também conhecida pela sigla em inglês PAS, consiste na situação em que a mãe ou o pai de uma criança a treina para romper os laços afetivos com o outro genitor, criando fortes sentimentos de rejeição em relação ao outro.
Os casos mais freqüentes da Síndrome da Alienação Parental estão associados a situações onde a ruptura da vida conjugal gera, em um dos genitores, uma tendência vingativa muito grande. Neste processo vingativo, o filho é utilizado como instrumento da agressividade direcionada ao ex-parceiro, onde o genitor alienante tenta a todo custo excluir o outro da vida dos filhos, interferindo nas visitas, atacando a relação, denegrindo a imagem e assim por diante... Como consequência, a criança alienada, normalmente, apresenta um sentimento constante de raiva e ódio contra o genitor alienado, se recusando a dar atenção, visitar, ou a se comunicar. Além disso, as crianças vítimas da SAP são mais propensas a apresentar distúrbios psicológicos (como depressão, ansiedade e pânico), utilizar drogas e álcool como forma de aliviar a dor e culpa da alienação, apresentar baixa auto-estima, fraco rendimento escolar, dificuldades de socialização, dentre outros sintomas.
Na verdade, trata-se uma atitude extremamente maléfica e errônea que pode acarretar consequências muito negativas na vida de uma criança e que podem comprometer sua personalidade futura. Por mais que seja difícil, é preciso separar a relação entre o ex-casal da relação entre os filhos - que não têm culpa dos atos cometidos por seus pais e que, por isto, não devem pagar por eles...
Pensando nisto, o Projeto de Lei 4053/08, do deputado federal Regis de Oliveira, tem como proposta regulamentar a Síndrome da Alienação Parental e estabelece diversas punições para essa má conduta, que vão desde advertência e multa até a perda da guarda da criança. O projeto, que tramita em caráter conclusivo, terá agora seu mérito examinado pela Comissão de Constituição e Justiça e de Cidadania e depois irá para o Senado.
Para maiores informações sobre a SAP visite o site www.alienacaoparental.com.br.

E você, conhece algum caso de alienação parental? Já foi vítima? Qual sua opinião sobre o assunto? Compartilhe conosco a sua história!!!
Um grande beijo,
Equipe Papo de Mãe

43 comentários:

alexandro disse...

oi meu none alexandro amaral. tenho um filho o alejandro amaral queria ficar com ele mais o juiz não me deu a guarda compatilhada isso não fucionar.

Carina (SP) disse...

Olá, achei o programa muito legal...

Vivo uma situação complicada, tenho uma filha de 8 anos e sou separada desde que ela tinha apenas alguns meses. O relacionamento acabou devido a ua agressão que eu sofri do pai dela,(ele também me agrediu outras vezes depois da separação, sendo impossível qualquer forma de diálogo) mas de lá para cá vivo sobre constantes ameaças de perder a guarda da minha filha. Como me separei, a família dele diz que não tenho condições de criá-la sozinha. Chegam a falar coisas absurdas a meu respeito para ela, como que eu a abandono, (pois trabalho e estudo, passando o dia todo longe de casa), a pouco tempo disseram que a menina sofreu abuso sexual, e que iriam levar isso a justiça. ( Tudo mentira!). Tentei diversas vezes algum tipo de acordo, cedi que ele pegasse a menina mais vezes que era determinado em juízo, achando que isso diminuiriam os problemas, mas o que acontece cada vez mais, são escândalos e acusações de que eu deixo a menina passar 2 dias na casa dele pq eu quero abandona-la. Gostaria de saber como eu poderia me defender de tais acusações, e principalmente, como devo agir para que as ameaças de pegar a guarda dela parem, pois, mesmo asabendo que, para isso, ele prescise provar algo contra mim, ainda fico com medo.

Abraços a todos!!!

Clarissa Meyer disse...

Alexandre, é uma pena que o juiz não tenha lhe dado a guarda compartilhada. Você recorreu desta decisão? Sempre é tempo!
---
Carina, você não precisa ter medo de perder a guarda de sua filha. É muito difícil que isto aconteça. Procure ajuda jurídica, pois as ameaças não podem continuar. Boa sorte!

Grata pela participação!
Clarissa Meyer
Equipe Papo de mãe

Carmem Oliveira disse...

Tenho uma filha de 14 anos que sempre foi rejeitada pelo pai. Ele tinha a capacidade de me procurar, mas não procurava a própria filha. Me ligava no meu aniversário, até o aniversário do ano retrasado ele apareceu na porta da minha casa com um bolo e nunca foi capaz de fazer o mesmo pela filha. Aliás, nos 14 anos dela ele foi em 3 aniversários. Nunca a levou para viajar, nunca passou um Natal ou final de semana com ela e não foi por falta de atitude minha. Quantas vezes briguei feio para cobrar que ele desse atenção para a filha, que a reconhecesse como parte dele, mas no final só me desgastei e fiquei com a fama de quem não aceitou o término do relacionamento, relacionamento esse que fui eu quem tomei a iniciativa de desfazer. Mas, para um psicopata é fácil se fazer de vítima para os outros e não cumprir sua obrigação. Por muitos anos não cobrei pensão alimentícia, mas muitos me criticaram por isso pois ele já não era presente e ainda não ajudava nos custos, que eu não estava sendo justa com ela etc.
Acontece que de uns 2 anos pra cá minha vida se transformou num inferno pior ainda. Ele se casou e teve outra filha, aliás, outros 2 filhos mas 1 deles ele age como se não existisse, exatamente como fez com a minha filha. Com o nascimento dessa irmã, o meu ex resolver posar de o pai mais maravilhoso do mundo e minha filha, de a garota mais dócil do mundo, se transformou numa rebelde, entendo que com causa, mas se revoltando com as pessoas que ela sempre teve como referência. O problema é que o pai dela nunca entrou com um pedido de regulamentação de visitas ou guarda compartilhada, e aparece quando quer e na hora que quer para vê-la. Tem época que ele vem todos os dias, depois some por uns 3 meses e nem atende as ligações dela. Eu sempre estimulava ela a procurar o pai, continuar ligando e ela dizia, mãe, ele não gosta de mim como gosta da outra filha dele. Não vou ligar mais... e sei que ela sofre muito por dentro. Mas o que fazer nesses casos? Cheguei ao limite de pedir para ele nunca mais procurá-la pois ele só confunde a cabeça dela. E quando ela faz alguma coisa de errado e eu brigo, ele me ameaça, faz a cabeça dela contra mim, me xinga. Eu gostaria muito que ele pedisse a guarda dela, assim ele teria obrigação de ser mais presente na vida dela, mas essa não é a vontade dela, muito menos o interesse dele. O que ele quer é infernizar minha vida. Eu gostaria que ele sumisse da vida dela, mas sei que estou de mãos atadas e ainda corro o risco de ver esse ser brigando na justiça alegando que a minha filha está sofrendo de alienação parental. Eu não concordo com essa lei, ou então ela não é coerente. Pq não existe uma lei que obrigue pais ausentes a assumirem suas responsabilidades com os filhos desde pequenos. Muitos vivem a vida e só quando ficam velhos caem na consciência de que foram péssimos pais e têm medo do julgamento divino e por isso procuram seus filhos, que foram criados com todas as dificuldades pela mãe e se quem tem uma família normal sabe o quanto é difícil criar um filho... quem dirá uma mãe solteira. E não falo de despesas financeiras. Falo de educar, ser presente, pois mães solteiras como eu, ainda precisam se matar de trabalhar pois sem emprego a dificuldade não é só para ela, já que tem uma boca para alimentar sozinha.
Além de tudo, ele tira o direito dela conviver com a família dele já que, embora a avó não goste dela, os tios e primos adoram. Mas para a família dele ele alega que eu não deixo, o que é um absurdo e para a minha filha, ele fala mal da família dele dizendo que são falsos e para ela não se iludir com eles... É uma história bem complicada.
Obrigada!

Papo de mãe disse...

Obrigada pelo relato, Carmem. Realmente é uma situação bem complicada, que infelizmente se repete em muitos lares. Quando a família só ouve um lado da história (no caso seu ex marido dizendo que você não deixa ele ver a menina), fica difícil provar o contrário. Mas se os tios e primos a adoram, vc já tentou conversar com eles?
Enfim, desejamos tudo de bom e o melhor desfecho possível para sua história.
Um beijo
Clarissa Meyer
Equipe Papo de Mãe

Anônimo disse...

olá!
tenho duas filhas do meu primeiro realacionamento uma com 9 e outra com 6 anos.
nos separamos assim que a mas nova nasceu por conta de agreções,ele sempre disse que as filhas eram tudo na vida dele ma snunca teve um tempo para eles sempre alegava trabalhar muito e não ter tempo,depois de quase dois anos com brigas constantes por conta da auxencia e por não pagar a pensão(que ele avia se proposto a pagar sem precisarmos ir a justiça) ele ficou desempregado, ai a historia ja era outra,não tinha dinheiro para pagar a pensão e muito menos para poder vim velas.obs:ele mora a menos de 20 minutos de nossa casa e não precisaria panha condução alguma para poder velas.
e mesmo assim sempre procurei ser tolerante até que ele se casou novamente e minhas foram passar um fim de semana na casa dele e disse que ele dava de tudo para a nova esposa de em quanto muitas das vezes eu ficava no trabalho até mei noite para poder ganha rum pouquinho a mas para não faltar nada para elas.
esta cobrança da mas velha me abril os olhos.
e quando pense que tudo estava ruim piorou fiquei gravida do meu segundo relacionamento minhas filhas ficaram felizes e acabaram contando para o ¨pai¨que ganhariam uma nova irmãzinha.
o que deixou ele mas afastado delas e com um odio mortal de mim.
sinto que por mas que eu e meu marido tentamos elas sentem falta do ¨pai¨,fico triste por que elas são meninas lindas e maravilhosas eu passei por algo muito parecido fui criada por padrasto assim como elas estão sendo,ma sa grande diferençã e que não tinha contato algum com meu pai biologico o que me deixou ainda mas agarada ao meu¨padrasto

fred amigo disse...

ola,meu nome é frederico sampaio.e tenho uma sobrinha chamanda alice,que moram com o pai,mas a mae dela que é minha irmã,o pai deixa a mae ver a criança,mas não deixa eu ver,e só vive falando coisa de min,nesse caso eu faço o que?

Vânia disse...

Tive uma filha aos 17 anos com meu primeiro namorado vivemos durante 6 anos juntos com muitas turbulência de indas e voltas, ele sempre me ameaçava e me batia dei queixas delas por diversas vezes, até que não aguentei mais e dei um fim definitivo sai de casa fui morar com uma amiga de faculdade e deixei minha filha com a mãe dele, mais todo os fins de semana eu vinha busca-lá, então logo ele arrumou outra pessoa e foi morar na casa que viveu comigo, quando falei que iria recorrer aos meus direitos na casa, ele me disse que eu foi quem abandonei o lar e não teria nenhum direito e também porque a casa estava no nome da mãe dele, para evitar confusão deixei de lado então só pedir que ele me deixasse em paz e fosse viver sua vida, mesmo depois de morar com outra e ter outro filho com ela, ele continuou a me procurar, sair da casa da minha amiga e fui morar com uma tia do qual peguei minha filha de volta, mas a mãe dele me ameaçou dizendo que eu estava deixando a menina com uma pessoa que não tinha moral para cuidar de uma criança, pois eu estava deixando minha filha com minha tia, para estudar e trabalhar, ela falar mal da minha tia, só por que ela criou um menina e esta se tornou rebelde, mais hoje ela se arrepende de tudo que fez com a mãe, minha tia não é nenhuma criminosa. Mas voltando para a história, acabei aceitando o que ela queria aluguei uma casa perto da casa dela e fui morar com minha filha, eu deixava minha filha na casa dela e ia para o trabalho do trabalho ia para faculdade e só pegava a menina a noitinha depois das 22:30h, até que um dia ela estimulo horários para eu pegar minha filha se eu não pegasse ela até as 19h, não pegava mais, figuei dizisperada, comecei a faltar aulas na faculdade só para não deixar de pegar minha filha, então perdi em um monte de matéria, quase tive que repetir de ano, mais graças a DEUS, esse pai maravilhoso isso não aconteceu, pois ele é justo, e ninguém melhor do que ele para saber reconhecer o seus esforços, e para me ajudar ainda mais ele colocou um pessoa no meu caminho uma pessoa do qual hoje sei o que é amor, me casei e fui morar com meu marido bem longe da casa deles e quando isso aconteceu eu já havia matriculado minha filha na mesmo escola que ela já estudava e já havia comprado todo o material e fardamento, para não perder tudo fiz um acordo com avó dela de ficar lá por um ano até terminar o ano letivo e pega-lá todos os fins de semanas, ela aceitou numa boa, quando o ano estava para terminar eu engravidei novamente, e quando o pai da minha filha soube voltou ameaçar, meu esposo teve que procurar os pais dele para conversar pois ele estava ameaçando que iria fazer eu perder a criança, então começou o inferno novamente, eles passaram a alienar a cabeça da minha filha dizendo que eu tinha abandonado ela que não gostava dela que eu só queria saber do novo bebê, mais mesmo assim no fim do ano minha filha veio morar conosco, então fiz outro acordo sem juiz de que eles me ajudassem com as despesas dela na escola, a escola custa R$220,00 eles passaram a depositar na minha conta R$160,00, e pagar o plano de saúde dela, tudo estava muito bom a ter começar dinovo, com as alienações, agora ela me ameaça dizendo que eu estou deixando minha filha de lado que não gosto dela e que não vai mais depositar mais nada para mim, como se o que eles fizessem fosse para mim, ela me ameaçou dizendo que me denunciar no conselho tutelar, então gostaria de saber se o que ela falar eu tenho que provar algo ou ela e que tem já que ela quem está dizendo? obrigado aguardo respostas o mais breve possível me ajudem, pois eu tenho como provar que tudo o que falei e verdade e tudo que ela vem fazendo também.
ABRAÇOS

lucilene disse...

desda separação o pai conseguiu pegar a guarda provisoria tenta separa de todos os modos toda maneira a mãe que sou eu lucilene aparecida ao ponto de usar o menino a dizer que não quer ficar comigo que não quer nem me ver , sei que isso não e verdade pois nem me olha nos olhos
fica agitado e e manipulado pelo pai
preciso de ajuda por isso estou aqui pq amo meu filho e quero participar da vida dele . me encontre no face lucileneferraz7@gmail.com

Anônimo disse...

Bom vou descrever minha estória antes de perguntar....
Tive um relacionamento com uma mulher, durante 2 anos e 8 meses, dos quais passamos morando juntos 1 ano e meio.
Nossa vontade sempre foi declaradamente de ter um filho, constituir família, etc... Só que ela por ja ter tido problemas de pressão, e ter que tomar remédio para tireoide, pois por atrofia da mesma, teve que retirar tal glândula, e fazer a reposição com hormônios.
Por este motivo, ela achava que nunca iria engravidar.
Nosso relacionamento começou a esfriar e a entrar em ritmo de rotina, tínhamos varias discussões, mais percebi em meados de Outubro de 2011 que ela não estava menstruando, e perguntei se ela não poderia estar gravida. Ela sempre negou, e no dia 02 de novembro, em pleno feriado, ela vem falando que não poderia dar mais o que eu queria como mulher (amor, sexo, atenção etc...), e que logo eu iria trair ela, por isso ela iria embora de casa.
Tentei por varias vezes me reconciliar, mais em vão.
Mesmo apos o termino ainda a indaguei sobre uma possível gravidez, e ela negou veementemente...
Bom como não me senti confortável morando na casa, e na cidade onde estávamos, resolvi transferir minha faculdade para minha cidade natal, voltei a morar com meus pais, como ela também.
Chegando aqui achei estranho ela ter me bloqueado em todas ar redes sociais, trocado o chip do celular, etc....
Achei que era só pra esquecer o passado, e também fiz algumas coisas como excluir orkut etc... Mais eu sempre tive uma duvida, na época não sabia se era por motivos de resto de uma paixão ou amor inacabado, ou por ter algo de errado no mundo de OZ...
Entrei no Facebook dela em fevereiro através de um outro Facebook que tenho, e vi que ela tinha ficado internada, me preocupei, e mandei uma mensagem para uma amiga em comum, e esta me fez de bobo, falando que estava tudo bem... Também vi outras mensagens como "em compasso de espera", "Ja estou em casa, apesar do susto não posso fazer nada..." entre outras...
No dia 03/03/12 entrei novamente e vi um ex aluno dela a parabenizando pela filha que estaria por vir... Fiz as contas e vi que ela poderia estar de 6 meses. Perdi o chão, pois sempre quis ter um filho com ela, e alem de ter que superar a falta que ela me fazia sem querer ser melodramático, agora tinha mais isso, isso meio que encheu meu coração até de uma leda esperança, de reconciliação, peguei o carro enfrentei 3hrs de viagem, para ver do que se tratava, fui humilhado pelo pai dela, e destratado por ela. A mesma se recusou a passar seu novo celular, e limitou meu acesso a apenas email curtos e grossos, e mesmo assim so respondendo quando tinha vontade, e por telefone, ao qual ela nunca podia atender porque estava de repouso, pois apesar de eu ou minha advogada, não termos acesso a nenhum atestado medico falando de risco de gravidez, ela disse estar correndo o mesmo e que não poderia se "estressar"... e que pasmem, ela estava ja entrando no 9º MÊS DE GRAVIDEZ... E NÃO SEIS COMO DESCONFIAVA, RESUMINDO ELA SABIA QUE ESTAVA GRAVIDA QUANDO FOI EMBORA E OMITIU TAL INFORMAÇÃO.
Ela alega que só descobriu a gravidez no 6º mês... Será?
Mais o estranho é que ela divulgou a gravidez para quem ela quis, teve forças para recuperar a senha do meu email e entrar no mesmo para ver o que eu estava fazendo, e o mais hilário é que somente eu é que a estressava, ("nossa como sou um monstro...")
Vejam, e o mais complicado, ela parou de me fornecer se quer as básicas informações se quer se ainda estava pelo menos viva.... e se limitou a falar que me avisaria quando a Bebe nascesse...
Bom a bebe nasceu, e o que ela fez? A registrou somente no nome dela.... Grande mãe... Parabéns por tentar fazer de mais um anjo órfão de pai....

Adilma N.P. disse...

Olá Luciene,


Encontrei seu e-mail em papodemae.com.br.

Eu tb perdi a guarda da filha, estou sofrendo muito, creio que vc me entende, gostaria de compartilhar informações com pessoas que passaram por situação semelhante. A justiça e parcial e desgastante. Se vc quiser trocar e-mails comigo sobre este assunto, se isso tb te ajudar de alguma forma a aliviar esta dor estou disposta a ajudar. Acredito que trocando informaçoes ajudamos uma a outra.


Tchau.

Anônimo disse...

Oi tenho um filho de 4 anos e a dois me separei do pai dele..Nesse tempo nos encontravamos e tinhamos ainda uma relação muito boa e meu filho sempre presenciou tudo, o pai dele dizia que iamos voltar a morar junto e etc.. Mas como tudo na vida muda isso tbm mudou a 3 meses ele encontrou uma pessoa e ja esta morando junto, e esta pessoa ja esta gravida tbm, tudo muito rapido, meu filho vai aos sabados na casa do pai dele, porem ele fica nervoso e ancioso no dia de ir, pois o pai dele nao cumpre com horarios de visita chega mais tarde e meu filho acaba achando que eu nao quero levar ele.... O pai dele e a namorada dizem a ele que não é pra ele acreditar na mamae que a mamae é louca que ele vai morar la, vai ter uma irmanzinha, a namorada dele tbm tem uma filha que nao mora com ela e diz que é irmã do meu filho, a cabeça dele ta toda confusa... Isso é Alienação tbm? e Qual atitude devo tomar?
[

Anônimo disse...

Oi,como faço para ajudar minha irmã que precisa trabalhar em outro municipio e quer deixat o filho comigo(que sou tia),mas o pai começou ameaça-la dizendo que vai na justiça e pegar a guarda do bebe de 8 meses.Ela teve esse bebe com ele que é casado e nao o quer mais ,mas ele insiste ameaçando-a.Ele pode inteferir assim....ja que nao e proibido de ver o bebe que ta comigo a 4 hrs de viagem de onde mora o pai?? me ajudem ,quero resilver judicialmente mas nao sei como??

PAPO DE MÃE disse...

Anônima, sua irmã precisa registrar ocorrência. Assista ao nosso programa, que o especialista responde uma questão semelhante à sua. Qualquer dúvida nos escreva: papodemae@papodemae.com.br
Abraços
Clarissa

Anônimo disse...

Gostaria de uma. Ajuda estou separado a um ano e legalmente a 3 mese minha ex mulher aceitou o divorcio mas na conciliacao ele marcou um cirurgia para meu filho p nao ir agora so em abril. Porem ela consegue infringir todos os artigos da alienacao parental. E so posso ver meu filho dentro da casa dela com ela gritando e me humilhando. Nao existe nenhum meio que obrigue ela deixar pegar meu filho nem que seja apenas 1 hora ele nao é obrigado a passar por isso. Pois temo q na proxima consilhacao ela invente algo mais uma vez ja estamos indo p terceira.

Anônimo disse...

Boa noite! Meu nome é Wendel, sou separado e tenho uma filha de 5 anos, pago pensão de comum acordo com a mãe, minha filha mora em Teresopolis com ela, e é bem complicado de vê-la, ela sempre vem passar as ferias comigo, do ano passado pra cá, n quer mais vir, na última visita q fiz a ela com minha mãe,ELA DISSE A MINHA MÃE, q qria vir, mas q n viria pq a mãe n qria deixar, q n era pra minha mãe falar nada se n ela iria apanhar e q tbm ela deixaria d falar com minha mãe,n consigo falar com ela no telefone, ta sempre desligado,ela esta fazendo d tudo pra me separar da minha filha,sinto muitas saudades da minha dela, qria saber do meus direitos e a quem devo recorrer, desde já agradeço.

anonimo disse...

Bom minha filha esta com a avó paterna a 2 anos pois tive um motivo de força maior ter que deixa-la com eles.Mais minha mãe esta sempre presente ajudando e fazendo todo o papel no qual não estou no momento podendo fazer. Mais quero recorrer na justiça pela guarda dela de volta como faço? A quem posso procurar?

PAPO DE MÃE disse...

Anônimo, por gentileza, entre em contato conosco pelo papodemae@papodemae.com.br. Grata! Clarissa

Anônimo disse...

Ola, tenho uma filha de 4 anos. Tenho guarda compartilhada e ela vê o pai nos dias combinados.
As vezes ele a deixa dormir em casas alheias quando é final de semana dele, porque ele quer sair. E ás vezes não pode vir ficar com ela no dia dele (um dia da semana ele fica com ela) porque tem outros compromissos. Nunca olha a agenda da escola, não vai ás reuniões da escola, nem às consultas médicas. Mas ele quer exigir que eu faça um relatório para ele. E ainda quer ligar na minha e/ou celular nos finais de semana que ela esta comigo. O problema é que quando pergunto pra ele por exemplo: se ela comeu muito chocolate na casa dele, ele me responde: não te interessa o que acontece com ela quando esta comigo!
Tenho o direito de impedir que ele me ligue? Sou obrigada a receber as ligações dele?

Anônimo disse...

Ola, tenho uma filha de 4 anos. Tenho guarda compartilhada e ela vê o pai nos dias combinados.
As vezes ele a deixa dormir em casas alheias quando é final de semana dele, porque ele quer sair. E ás vezes não pode vir ficar com ela no dia dele (um dia da semana ele fica com ela) porque tem outros compromissos. Nunca olha a agenda da escola, não vai ás reuniões da escola, nem às consultas médicas. Mas ele quer exigir que eu faça um relatório para ele. E ainda quer ligar na minha e/ou celular nos finais de semana que ela esta comigo. O problema é que quando pergunto pra ele por exemplo: se ela comeu muito chocolate na casa dele, ele me responde: não te interessa o que acontece com ela quando esta comigo!
Tenho o direito de impedir que ele me ligue? Sou obrigada a receber as ligações dele?

PAPO DE MÃE disse...

Anônimo, por gentileza, entre em contato conosco pelo papodemae@papodemae.com.br. Grata! Clarissa

Anônimo disse...

Bom dia, sou pai de uma filha de 10 anos, e tenho sofrido com as atitudes descabidas da mãe dela, que se juntas as irmãs dela e usa tbm as primas da minha filha para fazerem a cabeça da minha filha influenciando-a contra mim, e inventando as piores coisas sobre meu caráter, tem bastante tempo que fazem isso, mas inclusive desde janeiro desse ano minha filha não fica mais comigo e nem quer vir a minha casa, e além de mim, meu filho de 6 anos que é apaixonado pela irmã, está sofrendo muito tbm, a mãe dela arrumou um relacionamento e teve outra filha, a qual tira do direito da minha filha os privilégios e parte da pensão e usa para a outra filha que não é minha "eu nunca fui nada dela nem namorado, nem marido, ela pode viver com quem quiser, mas é justo ela fazer isso, usar a pensão da minha filha em benefício próprio?

Anônimo disse...

ola, meu caso talvez nao tem muito a ver com o assunto, mas tenho uma filha de dez anos e agora ela vai morar com o pai pois me casei novamente e eles nao se deram bem, corro o risco de perder a guardà dela?

PAPO DE MÃE disse...

Anônimo, não temos como responder sua dúvida, mas aparentemente sim, uma vez que ela vai morar com o pai. Aconselho que você procure orientação especializada, poderia tentar uma guarda compartilhada.
Abs
Clarissa Meyer
Programa Papo de Mãe

Nieli disse...

meu ex marido adiquiriu 2 terrenos enquanto moravamos juntos mas depois nos casamos... o casamento chegou ao fim mas temos uma filha de 3 anos juntos e ela é autista... Nos moravamos na casa do pai dele, ele mandou eu sair e casa e seguir o meu rumo... mas n tenho condicoes de me manter sozinha... Aí ele disse q ja q n tenho condições q a menina vai fivar com ele q ele n tem ibrigacao de me sustentar... e q nao tenho direito a terreno nenhum a nada.... n qro perder minha filha.... Me dê uma Luz...

PAPO DE MÃE disse...

Nieli, não é assim que funciona, você tem seus direitos e juiz nenhum baseia sua decisão apenas em condições financeiras. Seu ex-marido tem todas as obrigações legais com sua filha e você pode sim requerer a sua parte dos bens adquiridos durante a união. Procure a defensoria pública ou algum serviço de assistência judiciária gratuita da sua cidade (as faculdades de direito normalmente possuem escritórios que atendem a população). Não se deixe intimidar. Boa sorte! Abs, Clarissa

Anônimo disse...

Oi pelo juiz fiz um acordo com o pai da minha filha de pegar ela por 2 horas 2 vezes na semana conforme acordo entre agente sobre horarios e dias, ele não cumpri esse acordo e quando vem busca-la vem sempre com o carro cheio de amigos, nunca proibi e por um dia que eu voltei atras de dia e horario ele me acusou de nao deixar e me ameaçõu que iria no juiz, o que faço pois essa acusação é falsa?

Elisangela disse...

Isso e muito bom pq meu marido esta sofrendo alienação parental na qual a mae da filha dele faz de tudo para afastar filha dele hoje com 13 anos ela sempre alega que a menina não quer ficar com ele sendo que já foi determinado pelo juiz que ela deveria ficar com ele a cada 15 dias mais isso nunca foi cumprido por ela.

Pedra da Lua lopes disse...

Bom dia! Fui casada 9 anos eu na época tinha 15 anos e ele 24 sai de casa pois estava apaixonada com 16 anos engravidei da minha 1º filha o casamento foi normal até o 7ºano dela e quando chegou ao 8ºnao deu mais me separei ou agressão mais com medo dele nao registrei queixa larguei minha casa mobilhada e fui morar bem proximo para poder pega-la sempre que chegava do trabalho foi ai que tudo começou ele começou com um papo de deixa ela aqui,está sereno vc só esta pensando em vc está esquecendo do bem estar da nossa filha, como vc vai fazer pra ficar com ela e trabalhando deixa ela aqui pq esta em família.Eu deixei 1 dia depois ia pega-la mais e foi assim mais minha vida foi mudando conheci outra pessoa, foi quando ele e a mae dele começaram á dizer coisas sobre mim que nao eram verdade pois então ela se afastou ,quando eu chegava pra pega-la ela não queia vir mais eu saia chorando muito e acreditando que minha filha não gostava mais e mim,mais msm assim nunca fiquei longe sempre duas ruas depois da casa do pai todos os aniversários juntas dias das mães era difícil ele já me fez no meio do almoço levar ela para casa hoje ela tem 14 anos e esta gravida quero cuidar da barriguinha dela ela avisou o pai que iria morar comigo até a gravidez acabar mais o pai falou que se ela fazer isso era para esquecer que ele era seu pai ela ficou muito mau voltou para casa do pai e ele nao a deixa sair de lá para minha casa sendo que tenho varias msgs dela dizendo que enxergou tudo que fizeram para afastar ela de mim. Estou desesperada ele esta pedindo ela para tirar o bb da barriguinha dela isso é crime, nao sei oq fazer! me ajudem.

PAPO DE MÃE disse...

Pedra da Lua Lopes, procure a Defensoria Pública ou um serviço gratuito de orientação jurídica. Com sua filha do seu lado, as coisas ficam menos complicadas. Boa sorte! Abs, Clarissa

Anônimo disse...

É complicado algumas mulheres jogam os filhos contra os pais e se fazem de vitima ninguem faz filho sozinho a criança não tem culpa no meu caso sou pai solteiro e quase não tive contato com minha filha hoje com 12 anos a mãe se faz de vitima e me pinta como o pai mal mas ela infernizo minha vida ate hj infelizmente posso ser julgado pelos outros não ligo mas foi a pior coisa que me aconteceu ambas so pensam em dinheiro

gigi sousa disse...

me separei do meu ex marido qdo meu filho tinha apenas 8 meses, hoje ele tem 06 anos me casei denovo,meu ex tmb.... a nossa relação hoje é tranquila ele vem buscar o nosso filho de 15 em 15 dias... mas de uns dias para ca meu filho vem dizendo que quer morar com ele , que eu sou muito chata e ele é mais legal... e meu ex me critica dizendo que se ele ta doente é por minha culpa, se ele tem medo de algo sou eu a culpada e sempre diz isso na frente do nosso filho... estou triste pois faço o que posso e o que não posso para ver meu filho feliz... gostaria de saber se é normal ele gostar mais da casa do pai??? e como lidar com isso....

PAPO DE MÃE disse...

Gigi, vc já conversou com um psicólogo? Uma terceira pessoa que possa mediar esta questão? Abs, Clarissa

Jéssica Oliveira disse...

Bom dia, Tive um relacionamento de 3 anos no qual temos uma filha de 1 ano e 3 meses. O meu ex namorado nunca ligou para minha filha, me dava uma micharia de pensao, eu sempre ia na casa e era sempre humilhada por ele, faz 5 meses que nao me da pensao e vive me ameaçando, me ameaçou de morte, ameaçou de ir na minha casa e levar minha filha, nunca o proibi de ver a minha filha, porem devido as constantes humilhações prefiro nao frequentar mais a casa deele, pois ele me humilha e td vez briga feio com a mae dele, então eu disse a ele que quando ele quiser ele pode ir em minha casa ou no centro da cidade onde moro para ver a filha e ele se recusa, pois quer qe eu va na casa dele de qualquer forma, inclusive ontem eu tentei um acordo dizendo qe iria porem ficaria somente tres horas com ela lá e ele me chingou disse que eu ia mais nao ia fica so 3 horas qe ele ia me prender la e que de la eu nao sairia com minha filha. Esta sendo uma situação muito desgastante, ele vem me ameaçando quase todos os dias e eu nao sei mais oqe fazer, entrei com pedido de pensao na justiça e regularização de visitas, porem nao confio de ele ficar sozinho com minha filha, voce acha qe o juiz libera de ele ficar sozinho com ela/?

LUA disse...

Ola, o pai da minha neta arrumou uma noiva que não o deixa ver a menina e nem nos a nos de levarmos ela pra ele ver, como devo explicar isso a ela, ela quer ver o pai, tem apenas 3 anos, não sabemos o que fazer.

PAPO DE MÃE disse...

Lua, a criança é a vítima, ela não tem como entender isso. E o pai, não faz nada diante desta situação? Abs, Clarissa

PAPO DE MÃE disse...

Lua, a criança é a vítima, ela não tem como entender isso. E o pai, não faz nada diante desta situação? Abs, Clarissa

Anônimo disse...

Anônima..

Preciso de uma ajuda para qual caminho devo seguir... tenho uma filha de 6 anos, vai de 15 em 15 dias para a casa do Pai, porém toda vez que vai para lá na semana já começa a sentir dores diversas, e diz que vai dormir o dia inteiro para que as horas passem rápido, sempre falo que ela brincando as horas passam rápido também, o professor dela veio me contar que em uma conversa com ela, ela falou que não sabe porque ela tem que ir para a casa do pai, pois o pai fica dormindo ou só na TV a filha da esposa atual do pai só briga com ela, que ela não quer ir para lá, mas tem que ir pq o papai falou que se ela nao for a mamãe vai presa ... estou desesperada e de mãos atadas, o PAI não quer nem saber só fala com ela o dia que vem buscar em 15 dias não da nenhuma ligação....me ajuda o que eu posso fazer para ajudar minha filha!!! Na audiência tentei explicar para a juiza mas ela não deixou eu falar nada...por favor me ajudem!!

PAPO DE MÃE disse...

Anônima, você está certa em cumprir as visitas, mas quem está errando é o pai, que precisaria dar atenção à menina... Abs, Clarissa

Anônimo disse...

Preciso de ajuda. No final de 2012 o pai de mu filho entrou na justiça me acusando de alienação parental. Fomos casados por 5 anos, foram anos de muita turbulência e achei melhor enfrentar a realidade e buscar uma nova vida. No período de casamento meu filho não tinha atenção do pai autoritário. Eu fui agredida, espancada e estrupada mas não desisti. Hoje meu filho tem 13 anos e deixou de ser um menino dócil e gentil. ele não quer ver o pai, não quer falar com ele, não quer nenhum tipo de relacionamento. No início ele saia com o pai que o fazia passar fome, não dava atenção, deixava ele sozinho e ia beber, chegou a desmontar o quarto do menino para deixar suas enteadas usarem. Desde o início o pai ameaça levar meu filho embora, mentiu na justiça afirmando descaradamente que sou louca que eu inventava tudo. Cheguei realmente a quase enlouquecer de tantas ameaças e humilhações que passei. Agora estou forte e o pai não consegue me atingir e fica incomodando meu filho fazendo cobranças que estão incomodando o menino. Meu filho não sabe de tudo o que ocorreu no passado tento poupá-lo e convencê-lo que é mais fácil ele ao menos respeitar o pai e encontrar com ele em local público para não correr riscos. Já estivemos na psicologa da vara da família e emu filho ficou revoltado e chateado comigo. Tentei que ele entendesse que não posso mais fazer nada além de explicar para a justiça que o pai dele está sendo incoerente. Nosso advogado tem se esforçado em nossa defesa. Já fomos a psicólogos e o atual afirma que a atitude de meu filho e inconsistente. O pai sempre distorce as nossas palavra e parece que a justiça está acreditando mais no pai do que em nós, pois ele tem um bom emprego e sempre aparece alegre e superior. Por favor alguém pode me ajudar. Como devo proceder para conseguir mostrar na justiça que estou agindo corretamente? Como meu filho deve agir para provar que o pai o perturba, o deixa revoltado? Obrigada.

Anônimo disse...

Boa noite, separei da mãe da milha filha quando ela tinha 6 meses de gestação, porem sempre fui presente depois do nascimento da minha filha ate um ano é meio, ia ver minha filha toda semana, depois que a mãe da minha filha começou a se relacionar com uma pessoa, reduzi para 15 dias que é o normal, qdo ela fez 2 anos e meio, comecei a levar minha filha em casa para dormir fim de semana, porém algumas vezes ela não queria vir e outras na maioria ela vinha tranquila, dos 2 anos aos 4 anos, a mãe dela juntou-se com o namorado, o qual minha filha adorava tambem o padastro, sempre tinhamos uma relação muito boa, ate o momento que a mãe dela separou do padastro, o qual passei a ser mais presente, minha filha é muito carinhosa, não sofreu muito com a ausencia depois passados 4 meses que o padastro não está mais presente, porem a duvida minha é que ela é muito caseira, não há birra, mas nos dias que eu tenho que busca-la, com 4 anos hoje, prefere ficar com a mãe, algumas vezes ela vem tranquila, mas de umas duas vezes que fui, ela saiu somente para ir no shopping na propria cidade, pois moro a 90 km dela, as vezes penso em ser mais duro para leva-la, mas fico com receio de ela ficar com trauma, como posso proceder? porem as vezes ela quer que eu fique na casa da mãe brincando com ela. o que devo fazer?

PAPO DE MÃE disse...

Anônimo, sua filha é pequena, fica difícil para ela entender estas situações de relacionamento. O melhor a fazer é conversar, explicar, conversar, explicar... tem que ter muita paciência. Ela pode estar se sentindo insegura. Se você quiser a opinião de um psicólogo, por favor entre em contato pelo e-mail papodemae@papodemae.com.br. Abraços. Clarissa

leandro disse...

Boa noite, gostaria de saber qual a punição quando a mãe não permite q o pai veja sua filha msm com a determinação judicial. E quais providências q se deve tomar na hora q for buscar a criança e a mãe não permitir!
Agradeço desde já