Aos domingos, 15h30
Reprise aos sábados, 11 horas
Na TV Brasil

sábado, 28 de novembro de 2009

Consumismo infantil, um problema de todos

Oi, gente!
Tudo bem? Que tal o programa sobre Consumismo? Tema importante... Afinal, que família nunca passou por algum aperto na hora em que o filho teima em querer alguma coisa? Pois é, mais um assunto interessante que o Papo de Mãe trouxe para vocês! Quem perdeu o programa de quinta, ainda tem mais 3 chances para assistir: no domingo (29), às 13h30; na segunda (30) às 12h30; e na terça (01), às 18h30, na TV Brasil. Imperdível!!!
Mas antes de entrar no assunto da semana, gostaríamos de fazer um convite a todos. Para quem ainda não sabe, o Papo de Mãe é um programa gravado. A equipe entra no estúdio, mais ou menos, a cada 40 dias e grava uma sequência de 6 novos programas - todos com temas diferentes! Os próximos assuntos serão os seguintes: 1) atividades infantis; 2) literatura; 3) mãe após os 40 e tratamentos para infertilidade; 4) crianças desaparecidas; 5) animais de estimação; 6) filhos prematuros. E nós queremos convidá-los a participar!!!
No caso da gravação no estúdio é preciso estar em São Paulo. Mas para quem não reside aqui, existem outras formas de participar. Vocês podem mandar RELATOS para serem lidos durante o programa, PERGUNTAS para nossos especialistas e até DEPOIMENTOS EM VÍDEO (de até 30 segundos) contando suas experiências! Para isto, basta escrever para
contato@papodemae.com.br e falar com a gente! Ah, e aqui no blog vocês também podem fazer isto, além de comentar os programas e as matérias publicadas. Enfim, o espaço é todo de vocês e a colaboração de todos é muito bem-vinda!!!

Sobre Consumismo - tema da semana - trouxemos um texto bem interessante. A fonte é o site do INSTITUTO ALANA, uma organização sem fins lucrativos que, desde 2005, mantém o Projeto Criança e Consumo, cuja intenção é debater assuntos importantes no universo infantil como o consumismo, a erotização precoce, a obesidade infantil, a violência na juventude, o materialismo excessivo e o desgaste das relações sociais, buscando identificar maneiras de minimizar os seus impactos no jovens. Vocês podem encontrar maiores informações sobre o instituto e sobre o projeto no endereço eletrônico: http://www.alana.org.br . Vale a pena conferir!


Consumismo infantil, um problema de todos


Ninguém nasce consumista. O consumismo é uma ideologia, um hábito mental forjado que se tornou umas das características culturais mais marcantes da sociedade atual. Não importa o gênero, a faixa etária, a nacionalidade, a crença ou o poder aquisitivo. Hoje, todos que são impactados pelas mídias de massa são estimulados a consumir de modo inconseqüente. As crianças, ainda em pleno desenvolvimento e, portanto, mais vulneráveis que os adultos, não ficam fora dessa lógica e infelizmente sofrem cada vez mais cedo com as graves conseqüências relacionadas aos excessos do consumismo: obesidade infantil, erotização precoce, consumo precoce de tabaco e álcool, estresse familiar, banalização da agressividade e violência, entre outras. Nesse sentido, o consumismo infantil é uma questão urgente, de extrema importância e interesse geral.
De pais e educadores a agentes do mercado global, todos voltam os olhares para a infância − os primeiros preocupados com o futuro das crianças, já os últimos fazem crer que estão preocupados apenas com a ganância de seus negócios. Para o mercado, antes de tudo, a criança é um consumidor em formação e uma poderosa influência nos processos de escolha de produtos ou serviços. As crianças brasileiras influenciam 80% das decisões de compra de uma família (TNS/InterScience, outubro de 2003). Carros, roupas, alimentos, eletrodomésticos, quase tudo dentro de casa tem por trás o palpite de uma criança, salvo decisões relacionadas a planos de seguro, combustível e produtos de limpeza. A publicidade na TV é a principal ferramenta do mercado para a persuasão do público infantil, que cada vez mais cedo é chamado a participar do universo adulto quando é diretamente exposto às complexidades das relações de consumo sem que esteja efetivamente pronto para isso.
As crianças são um alvo importante, não apenas porque escolhem o que seus pais compram e são tratadas como consumidores mirins, mas também porque impactadas desde muito jovens tendem a ser mais fiéis a marcas e ao próprio hábito consumista que lhes é praticamente imposto.
Nada, no meio publicitário, é deliberado sem um estudo detalhado. Em 2006, os investimentos publicitários destinados à categoria de produtos infantis foram de R$ 209.700.000,00 (IBOPE Monitor, 2005x2006, categorias infantis). No entanto, a publicidade não se dirige às crianças apenas para vender produtos infantis. Elas são assediadas pelo mercado como eficientes promotoras de vendas de produtos direcionados também aos adultos. Em março de 2007, o IBOPE Mídia divulgou os dados de investimento publicitário no Brasil. Segundo o levantamento, esse mercado movimentou cerca de R$ 39 bilhões em 2006. A televisão permanece a principal mídia utilizada pela publicidade. Ao cruzar essa informação com o fato da criança brasileira passar em média quatro horas 50 minutos e 11 segundos por dia assistindo à programação televisiva (Painel Nacional de Televisores, IBOPE 2007) é possível imaginar o impacto da publicidade na infância. No entanto, apesar de toda essa força, a publicidade veiculada na televisão é apenas um dos fatores que contribuem para o consumismo infantil. A TNS, instituto de pesquisa que atua em mais de 70 países, divulgou dados em setembro de 2007 que evidenciaram outros fatores que influenciam as crianças brasileiras nas práticas de consumo. Elas sentem-se mais atraídas por produtos e serviços que sejam associados a personagens famosos, brindes, jogos e embalagens chamativas. A opinião dos amigos também foi identificada como uma forte influência.
Não é por acaso que o consumismo está relacionado à idéia de devorar, destruir e extinguir. Se agora, tragédias naturais, como queimadas, furacões, inundações gigantescas, enchentes e períodos prolongados de seca, são muito mais comuns e freqüentes, foi porque a exploração irresponsável do meio ambiente prevaleceu ao longo de décadas.
Concentrar todos os esforços no consumo é contribuir, dia após dia, para o desequilíbrio global. O consumismo infantil, portanto, é um problema que não está ligado apenas à educação escolar e doméstica. Embora a questão seja tratada quase sempre como algo relacionado à esfera familiar, crianças que aprendem a consumir de forma inconseqüente e desenvolvem critérios e valores distorcidos são de fato um problema de ordem ética, econômica e social.
O Projeto Criança e Consumo, do Instituto Alana, combate qualquer tipo de comunicação mercadológica dirigida às crianças por entender que os danos causados pela lógica insustentável do consumo irracional podem ser minorados e evitados, se efetivamente a infância for preservada em sua essência como o tempo indispensável e fundamental para a formação da cidadania. Indivíduos conscientes e responsáveis são a base de uma sociedade mais justa e fraterna, que tenha a qualidade de vida não apenas como um conceito a ser perseguido, mas uma prática a ser vivida.
Fonte: http://www.alana.org.br/CriancaConsumo/ConsumismoInfantil.aspx


Para terminar, a DICA DE HOJE é o programa PARATODOS. Neste sábado (28), o programa vai revelar os bastidores da filmagem “Sonho de Titia”: uma história de amor vivida em Campo Limpo, escrita por um morador desse bairro. O filme faz parte do projeto Curtas de Bairro, que valoriza o talento de escritores da zona sul da capital paulista. No quadro “O que eu faço agora?”, o cinéfilo Fábio Amarante mostra o seu trabalho e sonha em vê-lo no cinema. Em outra reportagem, Letícia Ottomani vai até Piracicaba, interior de São Paulo, conhecer a arte da região. A cidade é uma das maiores produtoras de açúcar do Brasil. Lá, o que sobra da cana vira artesanato e a história da cidade vira versos e rimas. O apresentador Big Richard foi a Salvador ver de perto a história desta cidade que há 45 anos ganhou o primeiro teatro independente da Bahia. E para encerrar, Paratodos apresentará café com bolinho de chuva. Um casal especialista nesta popular combinação é a atração do quadro “Gostinho Bom” do programa. O Paratodos é exibido todo sábado, às 19h30; com reprise na quinta-feira, às 18h.

Tenham todos um excelente final de semana!
Beijos,
Equipe Papo de Mãe

5 comentários:

Brunna disse...

Eu acho que o consulmismo tá muito em alta nos dias de hoje.

Clarissa disse...

Oi Brunna!
O Consumismo está em alta justamente porque hoje temos uma infinidade de produtos e serviços ao nosso alcance com muita facilidade. Sem falar na tecnologia que avança cada dia mais e desperta nas pessoas o desejo de compra.
Fico extremamente preocupada quando vejo casos de filhos chantageando pais para obterem certas coisas... Que mundo é este? O meu filho é ainda pequeno, nunca me pediu nada. Mas eu vejo a filha da minha funcionária que é adolescente pedir coisas surreais. A última delas foi um celular mais caro que o salário da mãe!!! Não dá, é demais para minha cabeça...

Beijos
Clarissa Meyer
Equipe Papo de Mãe

Brunna disse...

Graças a Deus sou controlada em relação ao consulmismo.

Andréia - Salvador/Ba disse...

Assisti hoje ao programa na TVE/Ba, acho muito importante essa discussão. Ainda não sou mãe, mas sou estudante do 6º semestre de pedagogia e me interesso muito por assuntos que envolvam crianças. Hoje em dia alguns pais querem substituir a presença dando presentes. Na minha opinião o limite é realmente a melhor solução para os problemas que envolvem a educação das crianças atualmente.

Julianac_f@hotmail.com disse...

Olá, meu nome é Juliana.Recém formada em Jornalismo, fiz um documentário como conclusão de curso sobre consumismo infantil e agora, estou dando continuidade como documentário profissional.
Gostaria muito de conversar mais sobre o consumismo infantil, tenho muito material sobre o assunto e seria ótimo se você pudesse entrar em contato comigo. Desde já, obrigada.